Autismo é deficiência? Entenda se sim e como é classificado!

Autismo é deficiência? Entenda se sim e como é classificado!
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

O questionamento sobre se o autismo é deficiência é uma questão complexa que envolve tanto perspectivas médicas quanto sociais. A resposta depende em grande parte do contexto e da definição utilizada. Vamos explorar essa questão em detalhes neste artigo, considerando várias perspectivas e nuances.

A perspectiva médica:

Do ponto de vista médico, o autismo é frequentemente considerado um transtorno do neurodesenvolvimento. O autismo é diagnosticado com base em critérios específicos relacionados a dificuldades de comunicação, interação social e repetições de movimentos e padrões de pensamento. 

Sob a perspectiva da medicina, o autismo é deficiência e é concebido como uma condição que difere das deficiências tradicionais, como as deficiências visual, auditiva ou motora. Ao invés de ser considerado um déficit ou uma ausência de habilidades, o autismo é compreendido como uma diferença neurológica que afeta a forma como uma pessoa processa informações, se relaciona com os outros e percebe o ambiente à sua volta.

É importante ressaltar que, embora o autismo possa apresentar desafios significativos em várias áreas da vida, não é uma condição que impede necessariamente o desenvolvimento de habilidades notáveis em outras áreas. 

Muitas pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) exibem talentos e aptidões notáveis em campos como matemática, arte, música, ciência ou áreas específicas de interesse. Essas habilidades podem ser uma parte importante da identidade de uma pessoa com autismo e devem ser valorizadas e incentivadas.

O autismo é uma manifestação da diversidade da função cerebral humana. Cada indivíduo com autismo é único, com suas próprias características, desafios e talentos. A perspectiva médica reconhece que autismo é deficiência, e para muitas pessoas com TEA, o foco deve ser em fornecer apoio e intervenções direcionadas para ajudá-las a desenvolver habilidades sociais, de comunicação e adaptativas que possam melhorar sua qualidade de vida e independência.

Portanto, sob essa perspectiva, o autismo é visto como um padrão de distinção, e a abordagem médica busca identificar as melhores maneiras de apoiar e maximizar o potencial de cada indivíduo com TEA, respeitando suas necessidades e talentos únicos.

A perspectiva social:

Do ponto de vista social, a questão de se o autismo é deficiência, ou não, é mais complexa e sujeita a diversas interpretações. A classificação do autismo como uma deficiência pode variar de acordo com a legislação e os sistemas de apoio disponíveis em cada país, estado e município.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o autismo é frequentemente considerado uma deficiência no contexto de serviços educacionais e de apoio. A Lei de Educação para Indivíduos com Deficiências (IDEA) dos EUA inclui o autismo como uma das categorias de deficiência qualificadas para serviços de educação especial. 

O que significa que as crianças com autismo têm direito a serviços de apoio e adaptações em suas escolas para ajudá-las a obter uma educação adequada. Da mesma forma, em muitos outros países, o autismo é deficiência e é reconhecido como uma condição que pode exigir suporte e acomodações especiais em diversas áreas da vida, incluindo educação, emprego e cuidados de saúde.

Autismo é deficiência? Entenda se sim e como é classificado!

A perspectiva da psicologia: 

A perspectiva da psicologia sobre o autismo como uma deficiência pode variar dependendo da abordagem e do enfoque teórico de diferentes profissionais e pesquisadores. No entanto, em geral, a psicologia tende a ver o Transtorno do Espectro Autista (TEA) como uma condição neurodesenvolvimental que afeta a maneira como um indivíduo processa informações, interage com o ambiente e desenvolve habilidades sociais e comunicativas.

Sim, o autismo é deficiência, mas a deficiência para a psicologia é um pouco diferente das demais áreas da saúde! 

Aqui estão algumas das principais considerações da psicologia em relação ao autismo enquanto deficiência:

Deficiência funcional: Do ponto de vista clínico e diagnóstico, é frequentemente considerado que o autismo é deficiência funcional, pois pode criar desafios significativos nas áreas de comunicação, interação social, comportamento e adaptação ao ambiente. Esses desafios podem afetar a capacidade de uma pessoa com TEA de realizar atividades cotidianas de maneira típica.

Abordagem holística: A psicologia tende a adotar uma abordagem holística para entender o autismo, reconhecendo que cada indivíduo com TEA é único e tem suas próprias necessidades e habilidades. Isso implica em avaliar não apenas as limitações, mas também as potencialidades e recursos do indivíduo.

Intervenção e apoio: A psicologia frequentemente se concentra em fornecer intervenções e apoio para ajudar as pessoas com autismo a superar as barreiras que podem surgir devido aos desafios associados ao TEA. Terapias comportamentais, como a Análise do Comportamento Aplicada (ABA), Terapia Comportamental, Terapia de Comunicação Alternativa e Aumentativa (CAA) e outras abordagens são comuns.

Promoção de habilidades: Enquanto reconhece os desafios associados ao autismo, a psicologia também se concentra em promover o desenvolvimento de habilidades e potencialidades individuais. Isso pode envolver a melhoria da comunicação, o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais, e o estímulo ao aprendizado e à autonomia.

Diversidade e aceitação: A psicologia enfatiza a importância de reconhecer a diversidade dentro do espectro autista e promover uma cultura de aceitação e respeito às diferenças. Ela luta contra o estigma associado ao autismo e trabalha para criar ambientes inclusivos.

Autismo é deficiência? Entenda se sim e como é classificado!

Portanto, embora haja o consenso de que o autismo é deficiência, a psicologia adota uma abordagem que valoriza a individualidade, busca superar desafios, promove o desenvolvimento de habilidades e luta pela inclusão e aceitação de pessoas com TEA na sociedade. 

A visão varia de acordo com as perspectivas e abordagens individuais, mas a ênfase no apoio e na melhoria da qualidade de vida é uma característica comum em muitas abordagens psicológicas em relação ao autismo.

Do ponto de vista social e da neurodiversidade, a resposta pode variar. O mais importante a lembrar é que cada indivíduo é único, e o autismo não define toda a sua identidade e não representa limitações engendradas. É fundamental respeitar e apoiar as necessidades e os talentos das pessoas com autismo, independentemente de como o autismo seja classificado.

O autismo pode tornar algumas coisas um pouco diferentes, mas isso não faz de cada criança alguém menos especial, com talentos e habilidades únicas que são verdadeiramente incríveis e insubstituíveis.  

Você convive com um pequeno ou pequena com autismo? No meu blog eu sempre compartilho o que há de mais atualizado no mundo da psicologia infantil! E nas minhas redes sociais (YouTube, Instagram, Facebook e TikTok) eu sempre compartilho dicas, brinquedos, livros e práticas voltadas para as famílias! 

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
27 de dezembro de 2023
Identificar os primeiros sintomas de...
Calandar (2)
23 de dezembro de 2023
Antes de nos aprofundarmos um...
Calandar (2)
21 de dezembro de 2023
De acordo com o Centro...
Calandar (2)
17 de dezembro de 2023
Autismo severo como lidar é,...
Calandar (2)
11 de dezembro de 2023
A musicoterapia para autismo é...
Calandar (2)
9 de dezembro de 2023
O Transtorno do Espectro Autista...
Calandar (2)
1 de dezembro de 2023
Para responder a questão “autismo...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo