Descubra se estudante de psicologia pode atender

Descubra se estudante de psicologia pode atender
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área. Quer conversar comigo? Só deixar um comentário no final do conteúdo.

O atendimento psicológico é uma prática de grande responsabilidade, visto que, trabalha diretamente com o psicológico de cada pessoa. Por conta dessa responsabilidade que envolve essa área de atuação, esse trabalho pode ser executado por um estudante de psicologia? Bom, nesse artigo veremos se o estudante de psicologia pode atender ou não pacientes de forma livre e irrestrita.

Quando falamos em um estudante de psicologia, naturalmente estamos discutindo sobre uma pessoa que um dia irá se formar nessa área e terá certas capacidades para atender pessoas que necessitam desse atendimento para se manterem saudáveis. Entretanto, eles já possuem essa capacidade suficiente enquanto ainda estão concluindo seus estudos?

Sabemos que a capacidade de cada estudante varia muito, visto que, envolve uma série de aspectos, principalmente a dedicação aos estudos, as experiências que ele possui e também a forma como ele se comunica com outras pessoas. Nesse sentido, veremos no artigo a seguir se o estudante de psicologia pode atender ou não, entendendo como funciona esse processo.

Mas e aí, estudante de psicologia pode atender?

Estudante pode atender

Para dar sequência, já iniciaremos com a resposta principal para a dúvida deste artigo: sim, o estudante de psicologia pode atender. Entretanto, não é tão simples quanto parece. 

Existe apenas uma maneira legal para determinar que o estudante de psicologia pode atender, que é através do estágio obrigatório, também conhecido como estágio supervisionado. 

Mas o que seria o estágio supervisionado obrigatório? Bom, essa é uma das principais diretrizes das universidades brasileiras. Na grande maioria dos cursos, o estudante precisa passar por uma experiência em uma determinada área que envolve as capacidades do curso em questão para que ele se forme.

No caso do curso de psicologia, existem uma série de caminhos que podem ser seguidos, como a pesquisa e o atendimento, por exemplo. Para quem quer seguir o caminho do atendimento em psicologia, é indispensável passar por um processo de estágio supervisionado no atendimento.

Como isso funciona? Bom, isso varia muito de curso para curso, faculdade para faculdade. Como o próprio nome já indica, o estágio supervisionado é examinado e verificado por um profissional capacitado. 

Nesse caso, a responsabilidade de observar e acompanhar o estágio fica a cargo de um professor da faculdade, que deve acompanhar todo o processo de atendimento do estudante, auxiliando nos caminhos que ele deve seguir e avaliando suas capacidades.

Dessa maneira, conforme as diretrizes estabelecidas pelo estágio supervisionado, o  estudante de psicologia pode atender, mas apenas seguindo esse modelo.

Diferença de atendimento de psicólogo formado X estágio supervisionado

Diferença de atendimento de psicólogo formado X estágio supervisionado

Como vimos, o estágio supervisionado é uma categoria que faz com que o estudante de psicologia possa atender. Para isso, é essencial que exista o acompanhamento de perto do professor selecionado, verificando como estão sendo conduzidos os atendimentos e os resultados do estágio.

Nessa categoria, o estudante deve seguir uma série de normas e processos para conseguir efetuar o atendimento, de acordo com as ideias já estabelecidas na psicologia e também pela universidade em questão. 

Nesse modelo, por exemplo, o estudante não pode fechar acordo com clientes em consultórios particulares para realizar o atendimento, ficando restrito ao que for estabelecido pela universidade em conjunto com a clínica conveniada. 

Dessa forma, o atendimento em estágio supervisionado, que é a categoria em que o estudante de psicologia pode atender, é totalmente diferente do atendimento de psicólogo formado.

Um psicólogo formado, que possui a devida verificação no Conselho Regional de Psicologia (CRP), pagamentos tributários referente a categoria e outros processos importantes, pode atender de acordo com as suas necessidades e demandas.

Esse profissional pode optar, por exemplo, por abrir um próprio consultório, adquirindo novos pacientes com o passar do tempo, de acordo com a sua disponibilidade de agenda.

Outra opção é o trabalho conveniado com clínicas. Apesar de não ser a opção mais recomendada, visto que, os ganhos são menores do que em um atendimento particular, esse modelo pode ser importante para quem está buscando maior reconhecimento para aumentar a quantidade de pacientes.

Para profissionais formados, não existem restrições que são exigidas durante um estágio obrigatório. Você não precisa reportar os acontecimentos para um professor que realiza a supervisão. Você tem independência para conduzir seu próprio atendimento, de acordo com os seus conhecimentos e experiências no tipo de atendimento que você está oferecendo.

Diferença do estágio obrigatório X estágios comuns durante a faculdade

Diferença do estágio obrigatório X estágios comuns durante a faculdade

Falamos que o estágio obrigatório supervisionado é a forma que permite que o estudante de psicologia pode atender em um consultório. Entretanto, existem outros tipos de estágio que o estudante pode ingressar para ganhar novas experiências em diferentes ambientes, nem sempre realizando atendimento.

A área da psicologia é bastante vasta. Para que o estudante possa atender quando finalizar o curso, ele precisa ter um estágio obrigatório realizado, de acordo com a quantidade de horas estipuladas, nesse modelo de trabalho. Porém, o estudante pode optar também por realizar estágios que fogem do atendimento, como assistente, auxiliar ou aprendiz, em diversos ambientes.

O estágio obrigatório é uma diretriz para determinar se o estudante pode concluir ou não o curso e seguir nessa profissão. Entretanto, isso não é um fator limitante para o estudante, que pode optar por uma série de caminhos a seguir dentro da profissão, adquirindo experiências em outras áreas que tenha relação com a psicologia, como psicologia clínica, organizacional, recursos humanos, atendendo pacientes ou nas residências terapêuticas.

Atenção às instituições

Atenção às instituições

Como vimos, existem uma série de ambientes em que os estudantes podem realizar o estágio, como clínicas, hospitais, consultórios, escolas e outros ambientes. Porém, é fundamental que o estudante esteja sempre atento a como essas instituições conduzem o estágio. 

Existem uma série de instituições que acabam contratando estagiários apenas por ser uma mão de obra mais barata do que um profissional formado. Quando existe esse pensamento, é muito comum que o estágio seja realizado sem a assistência necessária que o estudante precisa para absorver o máximo dessa experiência.

O estágio obrigatório não existe apenas por uma questão de “cumprimento do processo”. Ou seja, essa etapa não é apenas uma fase pela qual o estudante precisa passar para se formar. O estágio, independente de qual área, mas essencialmente em atendimento, é fundamental para que o estudante consiga ingressar no mercado de trabalho com uma base experimental de como realizar o atendimento.

Dessa forma, é fundamental pesquisar adequadamente antes de fechar um acordo com uma instituição que ofereça o estágio. 

Entender se ela realmente cumpre com as obrigações, se existe a assistência adequada, se o processo terá o devido acompanhamento e se o estudante conseguirá passar por essa etapa adquirindo o máximo de conhecimento e experiência possível é essencial.

Conclusão

Como vimos, o estudante de psicologia pode atender, desde que seja de acordo com as diretrizes do estágio obrigatório supervisionado estabelecido pela sua instituição de ensino. Como ele ainda não é um profissional formado, com a devida validação do CRP, ele não pode atender de maneira independente. Entretanto, essa etapa de estágio é importantíssima para que o estudante consiga se preparar adequadamente para atender seus pacientes futuramente da melhor maneira possível.

Compartilhe esse conteúdo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário

Conteúdos que você também pode gostar