O que é terapia floortime?

O que é terapia floortime?
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

Existem uma série de abordagens que os terapeutas podem utilizar durante o tratamento com pessoas autistas. Os métodos que foram desenvolvidos ao longo dos anos, décadas e séculos se diferem nas abordagens e no foco do tratamento. Um dos métodos que é dos mais conhecidos e utilizados atualmente, é a terapia floortime, que falaremos mais a fundo nesse artigo.

Diferença entre ABA, NDBI e DRBI

Diferença entre ABA, NDBI e DRBI, terapia floortime

Antes de começarmos a falar especificamente da terapia floortime, é importante compreender mais sobre esses tipos de abordagens e intervenções que existem dentro da psicologia para tratamento com pacientes autistas.

Atualmente, existem 3 abordagens que são mais aceitas e que vemos sendo muito utilizadas por profissionais da psicologia na intervenção do tratamento para crianças autistas: Análise comportamental aplicada (ABA), Intervenção baseada no desenvolvimento de relacionamento (DRBI) e Intervenção comportamental de desenvolvimento naturalista (NDBI).

Naturalmente, cada uma dessas três abordagens foram sendo desenvolvidas e analisadas ao longo das últimas décadas através de pesquisas teóricas e práticas, que mostram a eficiência dessas técnicas durante o processo terapêutico de crianças autistas.

Mas o que são essas abordagens? Como elas funcionam? Na sequência, faremos um pequeno resumo de cada uma dessas 3 abordagens, ficando mais fácil para você entender o por que elas se tornaram tão importantes.

 Análise comportamental aplicada (ABA)

 Análise comportamental aplicada (ABA)

A análise comportamental aplicada (ABA) é, muito provavelmente, a abordagem mais conhecida na psicologia atual. Essa abordagem se baseia no comportamento dos pacientes. A intenção desse método é justamente modificar e moldar o comportamento das crianças para que elas consigam se adaptar melhor à sociedade e aos ambientes que vivem.

Para isso, é utilizado o sistema de analise funcional do comportamento da criança + estratégias de reforço para modificar a resposta do comportamento inadequado. O profissional deve compreender que só se deve modificar um comportamento de outra pessoa quando este estiver sendo prejudicial para a própria pessoa ou pessoas em volta dela.

Intervenção comportamental de desenvolvimento naturalista (NDBI)

Intervenção comportamental de desenvolvimento naturalista (NDBI)

O NDBI é uma abordagem que tenta suprir algumas dificuldades encontradas na aplicação do método ABA. A ideia na abordagem NDBI é naturalista, mediante brincadeiras, jogos e interações que envolvem as crianças e seus pais. Nesse método, a recompensa encontrada após um comportamento está relacionada ao interesse da criança em ambiente natural.

Ou seja, se uma criança tem um comportamento desejado para o tratamento que está sendo aplicado, a recompensa será exatamente aquilo que a criança deseja e que está ao alcance, como um brinquedo específico, por exemplo.

Intervenção baseada no desenvolvimento de relacionamento (DRBI)

Intervenção baseada no desenvolvimento de relacionamento (DRBI)

Por fim, temos a abordagem DRBI, que quebra um pouco o modelo de abordagem ABA e NDBI. Diferentemente das anteriores, o foco principal da DRBI é uma estratégia direcionada para os pais, entendendo como eles podem lidar com os comportamentos de seus filhos durante o seu dia a dia. Claro, a abordagem também pode ser aplicada diretamente no consultório com os pacientes.

Como veremos na sequência, o método DRBI mais conhecido é justamente a terapia DIR/floortime. No DRBI, o aprendizado é feito de forma livre, sem sistemas de recompensas e deixando as crianças à vontade para conduzirem as brincadeiras e atividades propostas. A avaliação da criança está relacionada ao seu desenvolvimento e não ao seu comportamento.

DIR/floortime é uma DRBI

A terapia floortime ou DIR/Floortime se encaixa perfeitamente no conceito de Intervenção Baseada no desenvolvimento de relacionamento (DRBI). Como o próprio nome do método já indica, a DRBI foca no desenvolvimento do relacionamento entre os adultos e as crianças, através da comunicação e interação durante as brincadeiras, que devem ocorrer de forma livre, sem estruturação rígida.

Como veremos mais aprofundadamente na sequência, a terapia floortime tenta trabalhar com esses conceitos, fazendo com que a criança tenha liberdade para desenvolver e praticar as atividades propostas. A participação dos adultos responsáveis, sejam os pais ou o terapeuta, também é importante, mas sem imposições e controles.

Como funciona o DIR floortime – principios e praticas

Como funciona o DIR floortime - principios e praticas

Bom, finalmente chegamos ao ponto principal do nosso artigo, que é exatamente a terapia floortime, quais são seus princípios, como ela funciona, quando que ela é mais utilizada e indicada. 

Essa contextualização anterior foi importante para compreender, por exemplo, que a DIR/floortime se encaixa nas abordagens DRBI, sendo uma das principais abordagens conhecidas atualmente.

Em relação ao método DIR/floortime: ele foi desenvolvido na década de 80 e rapidamente passou a ser aplicado em uma série de escolas em diversos países do mundo, principalmente os Estados Unidos. 

Desde que foi criada, a terapia floortime está sempre em aprimoramento para melhor atender as crianças que necessitam de abordagens como essa.

O principal foco da terapia floortime é levar o indivíduo em consideração como uma pessoa que possui sentimentos, emoções e vontades. Nesse sentido, o DIR/floortime não busca focar em habilidades sociais isoladas, mas sim num todo, olhando para o desenvolvimento infantil como um todo, não apenas pedacinhos de comportamentos.

A ideia na terapia floortime é desenvolver suas capacidades intelectuais e emocionais, focando em alicerces importantes no desenvolvimento do paciente, sempre levando em consideração o estágio de desenvolvimento que ela se encontra. Ou seja, nesse modelo de abordagem, é fundamental que os profissionais e pais não se apressem, entendendo esse estágio de desenvolvimento

A tradução para a expressão “floortime” é “tempo de chão”, e esse nome é um ponto importante para essa abordagem, visto que, a aplicação da terapia floortime indica que os pais e terapeutas devam se sentar no chão junto com as crianças, interagindo e participando das brincadeiras no mesmo nível que elas.

Esse método é muito utilizado para o tratamento de crianças com TEA ( transtorno do espectro autista), justamente por dar a liberdade necessária para a criança conduzir as brincadeiras, sem intervenções que podem gerar gatilhos emocionais difíceis ou demandas exageradas para a criança.

Dentro do DIR/floortime existem 6 níveis principais de avaliação do desenvolvimento infantil, sendo eles:

1: atenção compartilhada e auto regulação

2: vínculo e engajamento

3: comunicação

4: resolução de problemas

5: brincar simbólico

6: pensamento abstrato

Através da avaliação inicial da criança, o FEAS, o profissional deverá entender o nível de desenvolvimento do paciente após avaliação e definir quais níveis irá trabalhar nas brincadeiras.

Ao sentar com as crianças no chão, permanecendo no mesmo nível que elas, o terapeuta e os pais devem ser conduzidos de forma livre pela criança. Esse é o princípio mais importante da terapia floortime, deixar que as brincadeiras sejam conduzidas pelas próprias crianças, usando a motivação que a criança traz para a terapia.

Claro, vale destacar que, para que o método seja funcional, a interação deve ocorrer. Ou seja, a partir da condução das crianças durante as brincadeiras, os adultos envolvidos devem interagir o tempo inteiro, mas sem tentar controlar a brincadeira. Mesmo que a comunicação não seja mediante a fala, o que é comum para crianças autistas que ainda estão desenvolvendo essa linguagem, a interação pode ser feita por movimentações corporais, danças, música, entre outros.

Conclusão


Como vimos, a terapia floortime, que é uma abordagem DRBI, é muito utilizada nos dias atuais, principalmente para o tratamento com crianças autistas. Diferentemente de outras abordagens, como o ABA, a floortime tem como foco deixar as crianças a vontade, conduzindo as atividades no seu tempo. O papel dos pais e do terapeuta durante esse processo é interagir constantemente com as movimentações das crianças, mas sem regular e controlar o que está sendo proposto por elas.
Quer ficar por dentro do mundo da psicologia infantil? Então me siga no instagram!

Compartilhe esse conteúdo
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
12 de agosto de 2022
Existem casos de crianças que...
Calandar (2)
7 de agosto de 2022
Provavelmente você conhece alguma criança...
Calandar (2)
2 de agosto de 2022
Quando se descobre que é...
Calandar (2)
1 de agosto de 2022
Em tempos de redes sociais...
Calandar (2)
27 de julho de 2022
Em países como o Brasil,...
Calandar (2)
11 de julho de 2022
Antes de começar a explicar...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Digite o que procura abaixo