Qual é a diferença da terapia comportamental infantil para a ABA?

terapia comportamental infantil - adolescente em sessão de terapia
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área. Quer conversar comigo? Só deixar um comentário no final do conteúdo.

Ahhh… são tantas dúvidas frente à questão sobre abordagens e psicologia… Existem diversas abordagens e formas como os psicólogos lidam com cada um de seus pacientes. Naturalmente a maneira de lidar depende muito da condição de cada um e de suas necessidades. Uma dessas abordagens é a terapia comportamental infantil, que veremos mais a fundo sobre o que se trata e como funciona.

Claro, esse é apenas um dos exemplos de como o psicólogo pode trabalhar o seu atendimento com as crianças. Também iremos explicar nesse texto a confusão da abordagem comportamental com a ABA – análise aplicada do comportamento, muito utilizada no tratamento do autismo.

Nesse artigo veremos o que são essas abordagens e quais são suas diferenças, mesmo que ao mesmo tempo elas possam convergir em determinadas situações, especialmente para pacientes que possuem o TEA.

O que é psicologia comportamental

terapia comportamental infantil - psicólogo fazendo anotações


Para começar é importante entender o que é psicologia comportamental e como ela funciona.

Bom, esse é um conceito altamente conhecido na área de psicologia, e muito trabalhado no atendimento de crianças, adolescentes e adultos. 

A psicologia comportamental, também conhecida como behaviorismo, é um dos principais conjuntos de abordagens no atendimento psicológico atualmente. 

O título de “criador” do behaviorismo se dá para John B. Watson, psicólogo que ajudou a desenvolver esses conceitos ainda no século XIX e durante o século XX.

O Behaviorismo foi inaugurado com o artigo de Watson, em 1913, intitulado de “Psicologia: como os behavioristas a veem”. Watson tomava como objeto da Psicologia o comportamento. O fundador do Behaviorismo deu consistência à Psicologia por ter um objeto de estudos observável, mensurável. Os experimentos dessa ciência poderiam ser reproduzidos em laboratório, em diferentes condições e em diferentes sujeitos. Essa perspectiva levou ao rompimento da Psicologia com a Filosofia, já que antes da Psicologia adquirir o status de ciência, no sentido positivista do termo, tinha por objeto o estudo da alma, e, assim sendo, enquadrava-se dentro dos estudos filosóficos. Watson defendeu a concepção funcionalista, isto é, “o comportamento deveria ser estudado como função de certas variáveis do meio” (TEIXEIRA, 2007, p.44). (fonte)

Além dele, outros nomes importantes e conhecidos nesse campo de estudo são Pavlov e Skinner. O Behaviorismo Radical, como foi nomeado por Skinner, teve grande aceitação nos Estados Unidos e no Brasil. Este pesquisador propôs que essa filosofia da Ciência do Comportamento se desse através da análise experimental do comportamento.

Essa abordagem embasa-se na formulação do comportamento operante. O comportamento operante é aquele que tem o estímulo emitido pelo ambiente e este desencadeia um comportamento observável. O comportamento reflexo é aquele em que o indivíduo age involuntariamente. Já o comportamento voluntário é uma ação consciente do indivíduo em relação a algum fato que ocorre no ambiente.

Skinner afirmou que todo comportamento humano poderia ser moldado ao se controlar os estímulos do meio ambiente. De acordo com sua teoria, seria possível criar ou excluir comportamentos ao inserir ou eliminar estímulos no meio ambiente. Os estímulos do meio foram identificados e denominados pelo psicólogo behaviorista como: reforço positivo, reforço negativo e punição. (fonte)

A ideia central da psicologia comportamental é entender como as pessoas reagem a determinados estímulos. Além disso, entender o por que dos determinados comportamentos mediante aos estímulos recebidos. 

Outro conceito importante da terapia comportamental infantil é que, segundo os principais especialistas desse campo, todo comportamento pode ser condicionado, modificado ou adquirido através de ensinamentos e estímulos diferenciados.

Entretanto, a forma como as ideias do behaviorismo são aplicadas se diferem por cada especialista da área. Nesse sentido, existem 2 vertentes principais dentro do behaviorismo ou psicologia comportamental: o clássico ou metodológico e o radical.

O que é a EBA e a ABA 

terapia comportamental infantil - criança brincando

Apesar de serem siglas parecidas, o significado de EBA e ABA, na psicologia, são distintos. EBA é uma sigla designada para Evidence-based assessment ou na tradução Avaliação baseada em evidências. 

Nesse sentido, esse termo não se refere apenas ao campo da psicologia, mas a todas as áreas da ciência. É uma vertente que apoia ideias que são baseadas em evidências empíricas.

A psicologia também tem uma área que trabalha com esses conceitos, chamada de Psicologia Baseada em Evidências. 

A ideia central desse conceito é que o conhecimento adquirido seja devido pesquisas empíricas, efetuadas com base de dados e critérios de avaliação e execução bastante rigorosos, além de um bom controle de variabilidades e análise de resultados. 

Já o ABA é um termo que é referente a uma ciência. Essa sigla significa, na tradução, Análise do Comportamento Aplicada. Esse termo é referente a um uma ciência desenvolvida por psicólogos consagrados do Behaviorismo Radical e muito utilizada durante o atendimento dos profissionais nessa área com seus pacientes.

É considerado ciência justamente por possuir bases sólidas e concretas, com comprovações expressivas que atestam a sua eficiência no trato comportamental com as crianças.

Os métodos de psicólogos que trabalham com ABA fazem desse campo de estudo um dos mais conhecidos na terapia comportamental infantil em crianças com comportamentos “atípicos” e, por isso, é muito utilizado, por exemplo, para atendimento com crianças autistas.

A principal base do ABA é o comportamento e a aprendizagem. A ideia central é fazer com que as crianças consigam atingir comportamentos adequados para o convívio social e consiga controlar os comportamentos inadequados nos meios em que estão inseridas.

Diferente de outras abordagens, a terapia comportamental infantil da ABA não explora apenas um comportamento específico, mas sim um espectro mais amplo das ações corriqueiras das crianças, especialmente as que possuem transtornos importantes, como TDAH e o Autismo, por exemplo.

Para funcionar, o psicólogo deve trabalhar e estimular alguns pontos fundamentais, tais como:

  • Linguagem;
  • Comunicação;
  • Atenção;
  • Foco;
  • Estudos;
  • Interação Social;
  • Diminuir comportamentos atípicos (crises, agressividade, baixa tolerância à frustrações).

Uma das técnicas do método aba é baseada no antecedente, comportamento e consequência(ABC). Nessa técnica, existe um antecedente, ou seja, acontecimentos que geram certos comportamentos, o comportamento que é a resposta a esse antecedente e, por fim, uma consequência desse comportamento.

Baseando-se em conceitos do behaviorismo, o processo final pode se tornar um reforço positivo, em que a consequência é boa para ambos os lados (psicólogo e criança) e um reforço negativo ruim para ambos.

Diferença entre ABA e EBA

psicóloga e paciente em sessão

Como vimos, existem diferenças nos termos e na ideia central desses dois conceitos, mas eles estão interligados. EBA é um conceito mais amplo, que se refere a análises comprovadas, com bases concretas na ciência. Já ABA é justamente uma ciência que pode ser enquadrada entre nessa categoria de Avaliação baseada em evidências.

Por isso, não é errado dizer que a Análise do Comportamento Aplicada possui bases de Avaliação baseadas em evidências, pois, durante as últimas décadas, o behaviorismo, essencialmente o radical de Skinner, vem se mostrando uma ideia bastante forte e importante para o trabalho comportamental com crianças.

Além do autismo, que já destacamos anteriormente, o ABA também é muito utilizado para o trabalho com crianças que possuem outros transtornos e que necessitam de uma terapia comportamental infantil de destaque.

Crianças que possuem atrasos no desenvolvimento infantil também se enquadram na categoria de pessoas que podem ser avaliadas com ideias aplicadas dos métodos da Análise Comportamental Aplicada.

Métodos ABA para autismo

mulher brincando com criança

Como um dos principais focos de profissionais que utilizam o ABA é o trabalho com crianças autistas, é importante destacar alguns métodos que são utilizados por esses profissionais durante esses processos. Conheça:

ABA DTT

O ABA DTT ( Ensino por Tentativas Discretas) é um dos principais métodos ABA da atualidade. A ideia central é que as crianças sejam estimuladas a procedimentos repetitivos e constantes, sempre com a ajuda do terapeuta, com o objetivo de obter respostas distintas.

Levando em consideração a técnica de Antecedente, comportamento e consequência, o DTT executa um processo em 3 etapas: estímulo em diferentes atividades, resposta do paciente e reforço ou correção no final do processo. É importante destacar também que, normalmente, esse processo é executado em um ambiente controlado.

ABA PRT

Diferentemente do primeiro, a ideia do ABA PRT (Treinamento de Respostas Pivôs) é que a avaliação seja realizada através de um comportamento livre e natural da criança, sem controlar o ambiente e suas ações. 

ESDM

O ESDM (Modelo Denver de Intervenção Precoce) é mais um método ABA bastante utilizado na psicologia e na terapia comportamental infantil. 

Ele também possui uma ideia naturalista, deixando a criança mais livre para fazer suas escolhas. Entretanto, o conceito principal é que os estímulos sejam gerados através de jogos e brincadeiras.

JASPER

Por fim, outro modelo ABA para autismo é o JASPER que, na tradução, significa Atenção Compartilhada, Brincar Simbólico, Engajamento e Regulação.

Esse método possui fundamentação nas práticas de jogos e brincadeiras, e visa estimular as crianças a interagirem com o terapeuta e com outras crianças por meio desses instrumentos, com objetivo de atingir melhoras comportamentais nos conceitos citados anteriormente na tradução do método. 

Conclusão sobre terapia comportamental infantil

Com o artigo conseguimos concluir que a terapia comportamental infantil é um campo mais amplo do que o ABA. A Análise Comportamental Aplicada é justamente a maneira como os psicólogos têm para aplicar os conceitos da psicologia comportamental ou behaviorismo. É bastante perceptível isso entendendo as técnicas utilizadas na ABA, como o reforço positivo ou negativo, ideia gerada no Behaviorismo Radical. Além disso, ABA e EBA também possuem diferenças, mas se convergem da mesma maneira, visto que, EBA é um conceito amplo sobre evidências empíricas, algo que é encontrado na Análise Comportamental Aplicada. 

E para mais novidades diariamente, me siga no Instagram: Paulinhapsicoinfantil ou dê uma olhada nos meus outros conteúdos do Blog.

Compartilhe esse conteúdo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário

Conteúdos que você também pode gostar