Você já ouviu falar da Psicologia comportamental infantil?

psicologia comportamental infantil - psicóloga e criança em sessão de terapia
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área. Quer conversar comigo? Só deixar um comentário no final do conteúdo.

A psicologia é uma área de estudo muito vasta, repleta de caminhos a ser seguido. Cada psicólogo possui uma especialização específica, que vai de acordo com estudos e abordagens em diferentes campos. Entre eles estão a psicologia comportamental e a psicologia comportamental infantil.

Nesse artigo verificaremos sobre o que se trata a psicologia comportamental infantil. Para isso, é preciso fazer uma explicação mais ampla, entendendo sobre os principais aspectos desse campo, sem levar em consideração a idade dos pacientes que são avaliados por profissionais que utilizam essa abordagem.

De modo geral, a psicologia comportamental é uma área também conhecida como behaviorismo. Esse é um dos campos da psicologia mais famosos e com abordagens mais aceitas ao longo do tempo, com estudos formalizados por psicólogos bastante conceituados como B. F. Skinner, Watson e Pavlov.

A ideia da psicologia comportamental é baseada em comportamento e estímulos. Esse “setor” busca determinar características comportamentais através do meio em que as pessoas estão inseridas e os estímulos que elas recebem.

As 3 principais abordagens do behaviorismo são: behaviorismo clássico, behaviorismo metodológico e behaviorismo radical. Cada uma dessas abordagens tem pensamentos diferentes, mas com um pressuposto principal: o comportamento pode ser condicionado ou ser adquirido através de ensinamentos.

Psicologia infantil

psicologia comportamental infantil - menina tampando o rosto com as mãos

Agora que introduzimos alguns detalhes do behaviorismo, é importante começar a discutir sobre o aspecto infantil para depois passarmos a debater sobre a psicologia comportamental infantil.

De maneira ampla, a psicologia infantil é o campo da psicologia que tem como principal objetivo atender pacientes infantis, ou seja, bebês ou crianças.

Normalmente a abordagem mais utilizada é a psicoterapia, que tem como fundamento tentar ajudar as crianças atendidas a trabalhar o controle e a expressão de suas emoções, que podem estar bastante afloradas e confusas.

Durante a infância, é normal que, devido a falta de clientes e entendimento de como o mundo funciona, que as crianças tenham dificuldades de se expressar e comunicar de maneira tranquila é compreensível.

Em certos períodos, como por volta dos 2 e 3 anos de idade, as crianças começam a apresentar comportamentos mais expressivos, justamente por essa falta de expressão de suas emoções. É nessa época, por exemplo, que as crianças começam a apresentar as famosas birras, justamente pela confusão que ocorre em relação aos seus sentimentos atrelada à dificuldade de se comunicar.

Nesse sentido, o trabalho do psicólogo é justamente trabalhar para que ocorra uma mudança comportamental no quadro de cada paciente. Claro, outro papel importante da psicoterapia é identificar possíveis transtornos ou condições neurológicas fora do padrão , que podem caracterizar transtornos como autismo, TDAH, entre outros.

Abordagens da psicologia infantil

psicologia comportamental infantil - menina em sessão de terapia

Assim como a psicologia, como um todo, possui uma série de campos e abordagem para trabalho com os pacientes, a psicologia infantil também pode trabalhar com diferentes abordagens para atendimento do público infantil.

Uma delas, por exemplo, é a psicologia comportamental infantil, que tem como base a análise comportamental, com a orientação de pais e das escolas dos pacientes, pois o contexto social em que a criança está inserida é muito importante e serve como condicionamento do comportamento infantil.

Outra abordagem é o TCC (terapia cognitiva comportamental), que é uma psicoterapia que avalia os pensamentos decorridos de um estímulo. Esses estímulos seriam os responsáveis por gerar os comportamentos e sentimentos dos indivíduos avaliados. 

Uma terceira abordagem é a psicoterapia na perspectiva fenomenológico-existencial, que, segundo Feijó-2002, “consiste em compreender o existir com base na filosofia da existência, tomando o homem como um ser indefinível, sem classificações, simplesmente reconhecendo a infinita abertura perante o existir, para assim alcançar a sua essência.”

Podemos citar também outras três abordagens que também são costumeiramente utilizadas: psicodrama, Gestalt terapia e centrada na pessoa.

A escolha da abordagem utilizada depende muito de cada situação e de cada psicólogo que realizará o atendimento. Enquanto um psicólogo pode ter maior facilidade com a psicologia comportamental infantil, outro pode trabalhar melhor com o TCC, e vice-versa.

Psicologia comportamental infantil 

psicologia comportamental infantil - criança brincando

Como dissemos, a psicologia comportamental infantil tem o papel de caracterizar os indivíduos por meio de estímulos e levando em consideração o ambiente em que eles estão inseridos.

Dessa maneira, a psicologia comportamental infantil utilizada por psicólogos infantis tem o objetivo de permitir uma observação ampla do comportamento dos pacientes, através de diferentes estímulos durante o atendimento.

Uma das técnicas mais presentes na terapia de psicologia comportamental infantil são os reforços (positivos e negativos) , punições e extinção. Mas o que é isso? Bom, os reforços têm o objetivo de estimular a repetição de comportamentos por meio de uma recompensa positiva. Porém, é possível que o reforço seja negativo.

Esse é um processo longo, em que os terapeutas trabalham situações repetitivas para que o paciente atinja esse objetivo do reforço positivo. 

Reforço positivo: quando a recompensa é satisfatória. É alcançado quando o paciente obtém ou adota o comportamento esperado durante o processo.

Reforço negativo: consiste em retirar um estímulo aversivo ou desagradável após a ocorrência da resposta.

As punições, tanto as negativas como as positivas na psicologia comportamental infantil tem o objetivo de eliminar ou diminuir determinados comportamentos, visto que, são comportamentos considerados “indesejados”.

O processo de extinção também tem relação com a retirada e diminuição de um comportamento inadequado.

Psicologia comportamental e autismo – ABA e autismo

psicólogo dando conselho para paciente

ABA é a abreviação para Applied Behavior Analysis e também é conhecida como Análise do Comportamento Aplicada. 

Essa análise está totalmente ligada à psicologia comportamental infantil, pois o seu principal objetivo é trabalhar os reforços, nesse caso dos comportamentos positivos/adequados.

Ele é considerado, atualmente, a base mais eficaz para o tratamento de crianças com TEA ( Transtorno do Espectro Autista) e por isso é muito utilizado dentro da psicologia comportamental infantil. Ele parte de dois princípios: aprendizagem e comportamento. Além disso, busca compreender três perguntas fundamentais: 

  • Como o comportamento funciona?
  • De que forma o comportamento é afetado pelo meio em que a pessoa vive?
  • Como ocorre o aprendizado?

Como crianças autistas costumam apresentar dificuldades no desenvolvimento de certas capacidades e também possuem comportamentos que, muitas vezes, os pais não sabem como lidar, os métodos dentro da ABA ajuda a criança desenvolver certos aprendizados importantes para lidar com seus sentimentos e para que o seu comportamento tente se adequar o máximo possível dos padrões sociais.

A principal ideia é que a aplicação dos métodos baseados em ABA na psicologia comportamental infantil consiga fazer com que as crianças autistas melhorem suas capacidades sociais e comportamentais para que elas consigam ter uma vida mais qualificada possível. Para isso, é importante que elas atinjam alguns ideias:

  • Melhora nas habilidades da linguagem e na comunicação;
  • Aperfeiçoar a atenção, o foco, a interação social e os estudos;
  • Diminuir certos comportamentos, como crises emocionais, agressividade e comportamentos autolesivos;

Para saber mais sobre os métodos baseados em ABA, clique aqui

Psicologia comportamental e a TCC 

menina brincando em sessão de terapia com supervisão da psicóloga

Para finalizar, outra abordagem muito utilizada dentro da psicologia comportamental infantil é o TCC (terapia cognitiva comportamental), que, como dissemos anteriormente, é uma psicoterapia que avalia os pensamentos decorridos de um estímulo. 

A base dessa teoria está no Behaviorismo Radical, uma das vertentes mais expressivas do Behaviorismo ou psicologia comportamental, e também em teorias cognitivas. 

Essa vertente entende a maneira como os seres, incluindo as crianças, são afetadas por um acontecimento ou estímulo. A ideia é trabalhar essas sensações que são encontradas após esse estímulo, e não o estímulo em si. 

Nesse sentido, durante as sessões com os psicólogos, os pacientes devem descrever suas sensações após uma determinada situação que pode ocorrer a qualquer momento. A ideia é que o psicólogo trabalhe para entender os motivos que geraram esses sentimentos e como trabalhá-los.

Conclusão

Como vimos, a psicologia comportamental infantil trabalha com diversas vertentes e conceitos para que a avaliação de cada paciente, bem como seu tratamento, seja o mais eficiente possível em cada situação. Existem variantes que interferem diretamente durante o atendimento, mas a ideia é que os psicólogos consigam aplicar essas técnicas para entender a situação de cada paciente e buscar soluções para modificar comportamentos e trabalhar as sensações.

E para mais novidades diariamente, me siga no Instagram: Paulinhapsicoinfantil ou dê uma olhada nos meus outros conteúdos do Blog.

Compartilhe esse conteúdo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário

Conteúdos que você também pode gostar