Transtorno do déficit de atenção: descubra quais são os sintomas e como é feita a intervenção.

Transtorno do déficit de atenção: descubra quais são os sintomas e como é feita a intervenção.
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurobiológica complexa que afeta o funcionamento cerebral da criança e, consequentemente, o comportamento.

Pesquisas científicas demonstraram que indivíduos com TDAH frequentemente apresentam certas diferenças em áreas específicas do cérebro que são responsáveis pelo controle da atenção, do planejamento, da inibição de impulsos e do controle motor.

Estudos de neuroimagem, como a ressonância magnética funcional (fMRI) e tomografia por emissão de pósitrons (PET), identificaram diferenças na atividade cerebral e na conectividade funcional em pessoas com transtorno do déficit de atenção, e servem de base para o entendimento que nós temos sobre o processamento neural das pessoas que são diagnosticadas.

transtorno do déficit de atenção também está relacionado a desequilíbrios nos neurotransmissores, substâncias químicas cerebrais que transmitem sinais entre os neurônios, que podem afetar a capacidade do cérebro de regular a atenção, a motivação, o humor e o comportamento, contribuindo para os sintomas gerais.

Hereditário? 

Alguns estudos genéticos revelaram que o  transtorno do déficit de atenção tem uma forte componente genética. Parentes de primeiro grau de indivíduos com TDAH têm um risco aumentado de também desenvolver o transtorno, como filhos, por exemplo. Múltiplos genes estão envolvidos, e esses genes parecem estar relacionados à regulação da dopamina e da noradrenalina no cérebro.

Este transtorno específico é frequentemente diagnosticado ainda na infância, o que sugere que pode estar relacionado ao desenvolvimento do cérebro, que ocorre de forma ligeiramente diferenciada, especialmente nas áreas associadas à função executiva.

À medida que as crianças com  transtorno do déficit de atenção crescem, essas diferenças no desenvolvimento cerebral podem afetar sua capacidade de lidar com tarefas que requerem autorregulação e atenção sustentada por períodos maiores.

O TDAH é, portanto, uma condição neurobiológica que não está, de forma alguma, relacionada a deficiências de caráter ou falta de disciplina, mas sim a diferenças no funcionamento cerebral e nos processos neuroquímicos. 

Compreender essas bases neurobiológicas é fundamental para a aceitação do diagnóstico e para a realidade de quem convive com o transtorno, proporcionando às pessoas afetadas as melhores oportunidades para gerenciar seus sintomas e alcançar seu pleno potencial.

Vamos, então, explorar um pouco mais os detalhes de alguns dos sintomas mais críticos do transtorno. 

Transtorno do déficit de atenção: descubra quais são os sintomas e como é feita a intervenção.

Sintomas comuns do TDAH

transtorno do déficit de atenção é uma condição extremamente complexa que pode se manifestar de maneira diferente em cada criança, e por esta mesma razão as comparações entre pessoas com o diagnóstico não são incentivadas.  

No entanto, existem três grupos principais de sintomas que definem, por assim dizer, o transtorno: desatenção, hiperatividade e impulsividade. 

Desatenção:

   – Dificuldade em manter a atenção em tarefas ou atividades, muitas vezes cometendo erros por descuido.

   – Dificuldade em organizar tarefas e atividades.

   – Evitar ou relutar em se envolver em tarefas que exijam esforço mental sustentado.

   – Perder frequentemente objetos necessários para tarefas.

   – Esquecimento de atividades diárias.

Hiperatividade:

   – Inquietude frequente, como mexer as mãos, os pés, a língua ou mastigar constantemente.

   – Incapacidade de permanecer na mesma posição em situações em que se espera que a pessoa fique parada, como uma consulta médica ou com um dentista.

   – Correr, escalar, e desmontar objetos em situações inadequadas.

   – Dificuldade em brincar ou se envolver silenciosamente em atividades de lazer.

   – Falta de modulação de impulsos, resultando em interrupção constante de conversas ou jogos com outras pessoas.

Impulsividade:

   – Dificuldade em aguardar a sua vez, ouvir frases até o final ou fazer algo em outro momento que não aquele.

   – Interrupção frequente de outras pessoas ou respostas precipitadas a perguntas antes de elas serem concluídas.

   – Dificuldade em seguir regras ou cumprir obrigações em situações de trabalho, escolares ou familiares.

É importante observar que os sintomas podem variar em gravidade e intensidade. Nem todas as pessoas com  transtorno do déficit de atenção exibirão todos esses sintomas, e a apresentação clínica pode mudar ao longo do tempo.

Transtorno do déficit de atenção: descubra quais são os sintomas e como é feita a intervenção.

Como é feito o diagnóstico? 

O diagnóstico do TDAH deve ser realizado por um profissional de saúde mental qualificado, como um psicólogo ou psiquiatra. Para diagnosticar o TDAH, é essencial que o profissional avalie a presença dos sintomas e a sua intensidade, além de considerar o impacto desses sintomas na vida cotidiana da pessoa.

O diagnóstico é feito com base em critérios específicos estabelecidos em manuais de diagnóstico, como o “Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais” (DSM-5). Esses critérios ajudam a diferenciar o TDAH de outros transtornos de saúde mental que podem compartilhar sintomas semelhantes.

Uma vez que a criança é diagnosticada, a intervenção psicológica desempenha um papel fundamental no manejo da condição. Aqui estão algumas abordagens psicológicas comuns para quem sofre com o transtorno do déficit de atenção:

Terapia Comportamental:

Esta é uma das opções mais populares devido à sua alta taxa de sucesso, ela ajuda a pessoa a desenvolver habilidades para controlar impulsos, reduzir comportamentos disruptivos e melhorar as habilidades de organização e o planejamento.

Ela também pode ser ensinada aos pais em forma de estratégias eficazes para gerenciar o comportamento dos filhos, melhorando a comunicação e estabelecendo rotinas consistentes.

Educação:

A psicoeducação daqueles que convivem diariamente com a pessoa diagnosticada fornece informações sobre o  transtorno do déficit de atenção, incluindo seus sintomas, desafios e opções de intervenção.

Além de ensinar habilidades específicas, como organização, gerenciamento de tempo e resolução de problemas, para melhorar o funcionamento diário.

Terapia de apoio:

As terapias em grupo podem oferecer suporte emocional, compartilhamento de experiências e estratégias de enfrentamento em um ambiente emocionalmente seguro para a criança.

No qual ela se sente confortável para discutir seus desafios, sentimentos e desenvolver estratégias de enfrentamento junto a outras crianças que passam pelas mesmas dificuldades.

Intervenções escolares:

Planos de educação individualizados (IEP): São criados para crianças com as mais diversas dificuldades que frequentam a escola regularmente, oferecendo acomodações e suporte específicos para suas necessidades, e não devem ser deixadas de lado para os pequenos que recebem o diagnóstico de transtorno do déficit de atenção .

É fundamental iniciar a intervenção o mais cedo possível após o diagnóstico para que os profissionais possam ajudar a criança a desenvolver habilidades de enfrentamento e a minimizar o impacto dos sintomas a longo prazo. 

Ficou alguma dúvida? Você pode me contatar nas redes sociais (Facebook, TikTok e Instagram) e acompanhar o blog para mais informações sobre os transtornos psicológicos e como eles se relacionam com a infância. 

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
20 de maio de 2024
A integração necessária para a...
Calandar (2)
15 de março de 2024
As estereotipias do autismo são...
Calandar (2)
13 de março de 2024
O hiperfoco infantil é um...
Calandar (2)
11 de março de 2024
O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é...
Calandar (2)
5 de março de 2024
Os transtornos infantis são condições...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo