Meu filho não quer ir para a escola, o que posso fazer?

Meu filho não quer ir para a escola, o que posso fazer?
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

Paula, meu filho não quer ir para a escola, o que eu faço? O primeiro dia de aula é sempre uma grande emoção para os pais. Escolher as primeiras roupas, o estojo, a mochila, e o caminho até a escola são momentos inesquecíveis, que guardamos com carinho. 

E a primeira recusa de um filho em ir para a escola pode ser um desafio extremamente frustrante para os pais, afinal o que nós queremos é que as nossas crianças sejam felizes nas suas caminhadas e que, sempre que possível, não encontrem sofrimento. 

Se o meu filho não quer ir para a escola, é natural que eu, enquanto pai ou mãe, tente repassar para ele que a educação é essencial para o seu sucesso e desenvolvimento, e não somente acadêmico. E a solução sempre se aproxima da abordagem que escolhemos para cada situação, com compreensão e paciência podemos encontrar soluções mais adequadas. 

A psicologia infantil oferece estratégias valiosas e sugestões práticas para lidar com a questão, e eu as adaptei brevemente para poder auxiliar os pais a compreenderem o que eles podem fazer quando seu filho não quer ir para a escola. 

Vamos às práticas! 

Escutar e compreender

Quando o meu filho não quer ir para a escola, a primeira etapa é investigar quais as causas que cercam a recusa. Existem várias razões possíveis para a resistência da criança, como ansiedade de separação, dificuldades acadêmicas, problemas de socialização, bullying, problemas de saúde física ou emocional, entre outros. 

A escuta ativa, como nós chamamos, é uma carta importante para “se ter na manga”, ou seja, escutar com atenção os relatos, as reclamações, os sentimentos e procurar compreender o que o seu pequeno está tentando comunicar. 

Diálogo

Como familiar, conversar abertamente com a criança para entender seus sentimentos e preocupações em relação à escola não deve acontecer somente quando meu filho não quer ir para a escola, mas nos mais diversos contextos que exigem comunicação com outras pessoas.  

Ouvir atentamente suas experiências, medos e ansiedades e validá-los demonstra empatia, para que seu menino se sinta compreendido, apoiado e visto. A minha dica é, portanto, o estabelecimento de um ambiente seguro e acolhedor para que seu filho se sinta à vontade para compartilhar situações desconfortáveis, preocupantes, entre outras nas quais ele não sabe como agir ou como resolver.

Meu filho não quer ir para a escola, o que posso fazer?

Procure a equipe escolar! 

“Mas Paula, e se a razão pela qual meu filho não quer ir para a escola forem as pessoas da equipe escolar?” Mesmo assim, é de extrema importância comunicar os coordenadores, pedagogos, professores e assistentes que seu filho está encontrando dificuldades para se adaptar e precisa de ajuda. 

Comunique-se com a escola para obter uma perspectiva mais completa da situação, que incluí as vivências escolares coletivas do seu pequeno. Trabalhar em parceria com a escola pode ajudar a identificar problemas específicos e buscar soluções adequadas, que façam sentido para ele.

A rotina faz toda diferença

Estabeleça uma rotina consistente para o seu filho, tanto em relação à hora de dormir quanto à hora de acordar. Uma rotina estruturada pode ajudar a reduzir a ansiedade e proporcionar uma sensação de estabilidade. 

Uma rotina matinal agradável e tranquilizadora, com atividades que seu filho goste, como ouvir música, ler um livro ou brincar antes de ir para a escola pode ajudar a tornar o processo mais agradável e menos estressante.

Incentive a participação 

Procure maneiras de incentivar seu filho a se envolver ativamente na escola para além da sala de aula. Estimular a participação em atividades extracurriculares, como esportes, arte, música ou teatro, que possam despertar seu interesse irão incentivá-lo a fazer amizades e interagir com os colegas e com a equipe escolar, trazendo a sensação de pertencimento. 

Evite punir sentimentos

Nós não somos livres de cometer erros e agir sem pensar, diferentemente do que acreditamos ou como podemos frente a situações complexas, estressantes ou novas. “Então quando meu filho não quer ir para a escola eu não posso deixar ele de castigo?” 

Isso mesmo! Punições exageradas, palavras duras e “tapinhas” podem aumentar a ansiedade e criar associações negativas em relação à escola. No lugar, oferece encorajamento, apoio e respostas tranquilas. Mostrar que você confia em sua capacidade de enfrentar os desafios é muito mais seguro e recomendado.

Meu filho não quer ir para a escola, o que posso fazer?

“E se meu filho não quer ir para a escola por birra?”

Dificilmente será o caso, como adultos, nós podemos ensinar habilidades de enfrentamento saudáveis e reforçar a importância de expressar emoções de maneira apropriada, para que ele se sinta seguro em buscar apoio sempre que necessário.

Lidar com a recusa escolar é um processo que requer paciência e persistência. Cada criança é única, e pode levar tempo para identificar e abordar as questões subjacentes. Seja paciente consigo mesmo e continue procurando soluções que estejam dentro da capacidade e da realidade do seu filho. 

Com o apoio adequado e uma abordagem consistente, você estará ajudando seu filho a superar a resistência e a desenvolver uma atitude positiva em relação às suas obrigações acadêmicas.

“Paula, eu fiz tudo o que você falou e ainda assim o meu filho não quer ir para a escola” 

Como profissionais, nós, da psicologia infantil, estamos sempre dispostos a ajudar e oferecer uma avaliação profissional com orientações especializadas para o seu filho. Você pode ajudar a identificar os fatores emocionais, comportamentais ou cognitivos que estão contribuindo para a situação ao trazer informações para o profissional que fará o acompanhamento. 

Não há vergonha ou falha alguma em buscar ajuda. Ser papai ou mamãe é um eterno aprendizado, que envolve amor, dedicação, energia, entre tantas outras qualidades e esforços. Por meio da terapia individual ou familiar, o psicólogo infantil ajudará seu filho a desenvolver habilidades emocionais e sociais, além de encontrar estratégias eficazes para lidar com situações que requerem análises mais profundas. 

Eu sempre disponibilizo diversas estratégias que auxiliam mamães e papais a terem uma experiência ainda mais positiva e enriquecedora no meu blog. Nas minhas redes sociais (Instagram, Facebook, YouTube e TikTok) compartilho dicas de livros, práticas e situações que promovem o desenvolvimento psicológico saudável de seus filhos. Não perca a oportunidade de acessar e conferir o conteúdo! 

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
20 de maio de 2024
A integração necessária para a...
Calandar (2)
15 de março de 2024
As estereotipias do autismo são...
Calandar (2)
13 de março de 2024
O hiperfoco infantil é um...
Calandar (2)
11 de março de 2024
O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo