Como ajudar crianças com altas habilidades?

Como ajudar crianças com altas habilidades?
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

Atualmente, quando falamos sobre educação inclusiva, pensamos logo nas crianças com deficiência ou distúrbios de aprendizagem. Mas, também existe o espectro de crianças com altas habilidades/ superdotação que também apresentam as suas dificuldades e, de tal forma, também precisam de atenção dos pais, responsáveis e educadores. 

Pela dificuldade de identificação, confundida muitas vezes pela criança parecer apenas ser “muito inteligente”, os pequenos com altas habilidades podem sofrer em seu desenvolvimento sem uma inclusão escolar adequada, além das suas questões emocionais e sociais.


Aliás, para deixar claro desde já, segundo a Política Nacional de Educação Especial (1994), são considerados crianças com altas habilidades ou superdotadas, aquelas que apresentam desempenho notável, ou seja, acima da média, nos seguintes aspectos (de forma isolada ou combinados): 

  • Capacidade intelectual geral;
  • Capacidade de liderança;
  • Pensamento criativo ou produtivo;
  • Aptidão acadêmica específica;
  • Talento especial para artes;
  • Capacidade psicomotora.

Diante desse cenário, separei algumas formas de ajudar crianças com altas habilidades para que o desenvolvimento delas seja potencializado da forma correta e aproveitado da melhor forma. 

Principais tipos de altas habilidades

crianças com altas habilidades

Antes de mostrar algumas atividades que podem ser realizadas para ajudar crianças com altas habilidades é importante saber em quais áreas podem surgir esse super desenvolvimento. Veja abaixo as principais categorias:

  • Intelectual – Crianças com pensamento rápido e flexível, grande capacidade de memória e de solucionar questões apresentadas;
  • Criativo – Crianças com alta imaginação, inovadoras e originais na forma de resolver problemas apresentados em seu dia a dia;
  • Acadêmico – Crianças com facilidade de aprendizagem de questões acadêmicas. Competência para organizar e sintetizar informações novas para produzir o seu próprio entendimento e conteúdo; 
  • Social – Crianças com grande poder de liderar grupos -independente da idade – através de uma alta capacidade interpessoal. Forte conduta de colaboração e empatia. 
  • Talento especial – Crianças com excelente facilidade de aprendizagem e desempenho em artes, como cênicas, literárias, musicais, plásticas e outras linguagens artísticas.  
  • Psicomotor – Crianças com desempenho anormal – acima da média – em agilidade, força, coordenação motora, movimento e velocidade. 

5 ações para ajudar as crianças com altas habilidades

Para te ajudar a compreender como identificar e intervir de maneira correta com as crianças que demonstram sinais de altas habilidades, preparei um guia com atividades que você deve realizar. Veja abaixo as 6 principais ações: 

1) Avaliação neuropsicológica 

Pode parecer óbvio – e até certo ponto deveria – mas muitos profissionais falham no processo de rápida identificação das altas habilidades. Dessa forma, a criança fica sem o apoio necessário. Por isso, aos primeiros sinais de superdotação, é preciso avaliar com testes formais da psicologia, para que a neuropsicóloga possa estabelecer o cenário de altas habilidades ou não.  

Para tanto, em parceria com a escola do pequeno, por exemplo, pode ser montada uma pré-avaliação com assuntos da área de habilidade especulada que serão debatidos nos próximos meses. Assim, caso a criança confirme ou não a expectativa em relação às altas habilidades, os próximos passos a serem tomados ficarão mais claros. 

2) Enriquecimento curricular 

Você poderá ler mais detalhadamente sobre enriquecimento curricular nesse e-book completo do tema: clique aqui.

Segundo Freedman e Guenther (2000), o enriquecimento curricular é um programa com o objetivo de tornar o processo educativo o mais individualizado possível, sem perder de vista parâmetros como as exigências do sistema de ensino e as necessidades socio emocinais dos estudantes.

Sendo assim, a cada nova tarefa apresenta a criança, estabeleça formas para que ela possa ir além do esperado e consiga aproveitar seu potencial em benefício do processo de aprendizagem. Não limite a criança com altas habilidades ao conteúdo básico, busque e apresente oportunidades que a fim de explorar todas as suas capacidades com constância.   

3) Falar sobre a superdotação com seu filho

Um ponto importante é a conscientização de si mesmo, ou seja, seu filho saber que ele é super dotado ou tem altas habilidades e entender como o cérebro dele funciona.

Você poderá pedir para uma psicóloga te ajudar na melhor estratégia e a encontrar o melhor momento para poder conversar com o seu filho sobre isso, mas é importante que ele entenda mais dele mesmo, não tem motivo para esconder sobre isso, pois ele tem o direito de entender sobre o seu próprio funcionamento cerebral.

Compreender suas emoções e porque ele pode sentir as coisas com mais intensidade que outras pessoas, ou porquê os amigos demoram mais para aprender uma matéria enquanto ele aprendeu em duas aulas.

4) Manter diálogo franco e direto com a criança 

Os pais são o primeiro local de segurança de uma criança e podem continuar sendo um porto seguro dependendo da forma que você educa, acolhe e orienta seu filho.

É importante que você consiga manter o dialógo com seu filho sobre as dificuldades, vivências na escola, medos, etc.

Pois ele pode precisar desabafar sobre o que está vivendo na escola, se existe algum bullying acontecendo no ambiente escolar ou situações que ele não sabe lidar e precisa de orientações.


5) Mostrar que erros fazem parte do processo 

crianças com altas habilidades

Como todos sabemos, a perfeição não existe, mas esse conceito poder complexo para crianças altamente perfeccionistas e com alto nível de cobrança de si mesmas. Para elas, devido aos padrões de exigência elevados que estabelecem, erros em suas atividades, independente da complexidade, são inadmissíveis.

Claro que esse modelo de comportamento não é sustentável a médio e longo prazo, podendo trazer uma série de transtornos. Com isso, é preciso estabelecer que o erro faz parte de todo processo humano e a criança não deve se condenar por isso. Aplicar exemplos de pessoas próximas e ícones para a criança pode contribuir. 

Veja essa dica de livro para usar com seu filho se ele passa por isso:

Também encontrei a história narrada do livro aqui para ajudar vocês: https://www.youtube.com/watch?v=_5GrQmTrM1Y

Gostou dessas dicas sobre como ajudar crianças com altas habilidades? Então, aproveite e me siga lá no Instagram, YouTube e TikTok para muito mais informações sobre os superdotados e outros transtornos da infância e, principalmente, como lidar com eles da melhor maneira. No blog também tem muito conteúdo, vale a pena conferir!

E se você gostou desse conteúdo compartilha com alguém que você sabe que pode ajudar!!!

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo