TDAH tem cura? Entenda se sim e o que pode ser feito.

TDAH tem cura? Entenda se sim e o que pode ser feito.
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é uma condição neuropsiquiátrica que afeta, principalmente, a capacidade da criança em manter a atenção, controlar impulsos e regular as próprias emoções e comportamentos. E até o presente momento, não há indícios de que o TDAH tem cura.

A resposta para esse questionamento é um pouco complexa, e envolve diversos fatores que devem ser considerados, mais do que conseguimos pensar a princípio, principalmente quando o assunto é novidade.

Para compreender melhor a questão da cura do TDAH, é importante entender a natureza do transtorno, e como ele se manifesta ao longo da vida de uma pessoa que recebe o diagnóstico. O TDAH é uma condição neurobiológica e, por consequência, de longa duração, o que significa que ela não acaba na infância. 

É igual para todo mundo? 

As suas manifestações podem variar em intensidade ao longo do tempo, de acordo com o contexto, a situação e o ambiente, e podem afetar significativamente várias áreas da vida de quem convive com ela, como a escola, o trabalho, as relações sociais e a autoestima.

Atualmente, não existe uma resposta definitiva para o questionamento “O TDAH tem cura?”, no sentido de que os “sintomas” desapareceram completamente e nunca mais voltariam. 

No entanto, isso não significa que o TDAH não possa ser gerenciado de maneira eficaz. Diversas abordagens e intervenções podem ajudar a minimizar as consequências, por assim dizer, do TDAH e melhorar a qualidade de vida da pessoa que possui o transtorno.

Para a psicologia, o TDAH é multifacetado

 E, por esta mesma razão, ela dispõe de um grande número de abordagens e soluções. 

Se você está buscando compreender se o TDAH tem cura, pode ser que o que esteja procurando sejam opções para lidar com comportamentos específicos que estejam trazendo dificuldades ou sofrimento para alguma criança com a qual convive e recebeu o diagnóstico recentemente. 

Quais são as opções e para que elas servem? 

Terapia Comportamental: Terapias comportamentais, como a Terapia Cognitivo-Comportamental, ou TCC, podem auxiliar no ensino e na prática de habilidades que envolvem o gerenciamento de tempo, a organização, o autocontrole e estratégias para melhorar a atenção e a concentração.

TDAH tem cura? Entenda se sim e o que pode ser feito.

Questões que são fonte de constantes cobranças por parte da própria criança em diversos casos, porém podem vir de professores, empregadores, familiares e demais pessoas que convivem com quem possui o transtorno. E é uma das razões pelas quais os próprios pacientes podem buscar saber se o TDAH tem cura

Educação e informação: A educação sobre o TDAH, e o porquê tanto se questionam se o TDAH tem cura, tanto para a pessoa afetada quanto para os familiares e professores, é essencial. E ajuda a criar um ambiente de apoio e compreensão extremamente necessário.

Ela desempenha um papel fundamental em criar um ambiente de apoio e compreensão extremamente necessário para lidar com os desafios associados ao transtorno. Por meio do conhecimento sobre os sintomas, características e estratégias de manejo, todos os envolvidos podem adquirir uma compreensão mais profunda do TDAH e aprender a melhor forma de lidar com suas manifestações no dia a dia.

Medicação: 

O uso de medicamentos surge como resposta para diversas adversidades biológicas, e é constantemente buscada como a resposta para: TDAH tem cura? 

Em alguns casos, a medicação pode ser prescrita para ajudar de forma pontual e específica. Medicamentos estimulantes e não estimulantes podem ser recomendados por psiquiatras especializados. 

Porém, o uso do medicamento não se aplica a todos os casos e não dispensa a necessidade do acompanhamento psicológico. A prescrição pode, ou não, ser temporária, e deve ser feita por profissionais que atendem a faixa etária da pessoa que busca o auxílio medicamentoso.  

Estratégias de Adaptação: Aprender a usar estratégias de adaptação é fundamental para lidar de forma eficaz com os desafios diários impostos pelo TDAH, os mesmos que motivam as famílias a saber se TDAH tem cura. Nesse contexto, a criação de rotinas estruturadas pode proporcionar previsibilidade, uma forte aliada, e ajudar a reduzir a ansiedade constante associada ao transtorno. 

TDAH tem cura? Entenda se sim e o que pode ser feito.

O uso de lembretes visuais, como calendários e listas de tarefas, pode auxiliar na organização das atividades, por exemplo, melhorando o foco e a capacidade de conclusão, fatores importantes para as responsabilidades do dia-a-dia.

A implementação de sistemas de recompensa também desempenha um papel crucial, pois incentiva a criança ou o adulto com TDAH a alcançar metas específicas, reforçando comportamentos positivos e promovendo a autoestima.  Essas estratégias não apenas mitigam alguns efeitos do TDAH experienciados por pessoas diagnosticadas, mas também capacita indivíduos a desenvolver habilidades de autorregulação e autonomia.

Todo apoio é bem-vindo!

Ter apoio emocional e psicossocial é crucial para qualquer pessoa com TDAH, justamente para que o processo de aceitação das condições intrínsecas à condição não perpasse sofrimentos e dificuldades desnecessárias, que podem ser evitadas. 

Este suporte pode ser fornecido por psicólogos, terapeutas ou grupos de apoio. Porém a família têm um papel central, principalmente na infância, para que não haja uma busca incessante por saber se o TDAH tem cura, ou não, que possa levar a frustrações e a uma visão negativa de si próprio por parte do paciente psicológico. 

Um processo de acolhimento bem-sucedido envolve uma abordagem multidisciplinar, que combina diferentes tipos de terapia e intervenções. É sempre positivo lembrar que cada pessoa com TDAH é única, não deve ser comparada, e o acompanhamento deve ser personalizado de acordo com suas necessidades individuais, medicamentoso ou não. 

O diagnóstico precoce e o início do tratamento podem fazer uma diferença significativa na gestão de situações e experiências específicas do transtorno ao longo do tempo .

Embora o TDAH possa não ter uma “cura” definitiva no sentido tradicional, muitas pessoas com o transtorno conseguem levar vidas bem-sucedidas, produtivas e gratificantes com o manejo adequado dos “sintomas”. O foco não deve estar apenas em buscar a cura, mas sim em adquirir as ferramentas e as estratégias para enfrentar os desafios que o TDAH pode apresentar. 

Com o apoio certo, muitas pessoas com TDAH podem aprender a gerenciar seus sintomas de maneira eficaz e a alcançar seu potencial máximo. Por esta razão, estou sempre disponível nas minhas redes sociais (Instagram, TikTok, YouTube, Facebook) para tirar dúvidas e auxiliar como for possível! 

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
1 de maio de 2024
A regulação das emoções na...
Calandar (2)
29 de abril de 2024
Atuar como psicopedagoga infantil é...
Calandar (2)
27 de abril de 2024
A psicoterapia comportamental infantil é...
Calandar (2)
25 de abril de 2024
Aplicar a terapia cognitiva comportamental...
Calandar (2)
23 de abril de 2024
A psicologia no desenvolvimento infantil...
Calandar (2)
17 de abril de 2024
Tornar-se um especialista em psicologia...
Calandar (2)
11 de abril de 2024
Abrir um consultório de psicologia...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo