Psicologia e autismo infantil: como trabalhar?

Psicologia e autismo infantil: como trabalhar?
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

Antes de falar sobre a relação entre psicologia e autismo infantil, acho interessante esclarecer o que é o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Como o próprio nome traz, o autismo é um transtorno neurológico e atinge, aproximadamente, 70 milhões de pessoas no mundo. Ele se manifesta, geralmente, nos primeiros anos da infância, de forma espectral, ou seja, não linear e diversa em cada criança, que é única. 

De forma geral, a criança com TEA apresenta certa deficiência das habilidades de comunicação e interação social, e comportamentos atípicos. Sendo assim, os níveis de dificuldade para se comunicar, a necessidade de acompanhamento de profissionais, entre outros sinais, são distintos entre si, porém necessários em todos os casos para garantir a qualidade de vida da criança. 

Uma das descobertas de grande importância da conexão psicologia e autismo infantil foi a delimitação do perfil da criança autista através da entrevista com os pais ou responsáveis. Quando feita, com o objetivo de identificar quais as intervenções a serem propostas pelo profissional consultado, é essencial que haja compromisso com a realidade da criança e honestidade no relato, sem ocultação de limitações ou dificuldades. 

Ademais, o perfil do paciente autista é retraído, com interações sociais desconfortáveis, padrões restritos no dia a dia, comportamentos repetitivos, incômodo com alterações no ambiente ou na rotina e ausência de contato com a realidade, em casos mais severos. 

Diagnóstico da psicologia e autismo infantil

Psicologia e autismo infantil: como trabalhar?

O processo diagnóstico deve ocorrer de forma eficiente e o mais cedo possível para a criança com Transtorno do Espectro Autista, assim como a identificação do grau de autismo presente para que as intervenções sejam efetivas. 

Eu recomendo que o processo seja feito à luz do documento DSM-V, baseado no forte vínculo psicologia e autismo infantil, que estabelece os critérios necessários para o diagnóstico preciso, assim como os parâmetros para os níveis que irão determinar o grau presente em cada criança. 

Intervenção psicológica 

A psicologia contribui imensamente para a compreensão do autismo em todo seu espectro. A psicoterapia é a grande responsável pelo norteamento das intervenções a serem feitas. A saúde biopsicossocial da criança e sua natureza comportamental necessita, tanto na infância quanto na fase adulta, do acompanhamento de um profissional da psicologia para garantir um processo saudável de desenvolvimento. 

Apesar de, a princípio, se pensar em psicologia e autismo infantil de forma centralizada no papel do psicólogo, a intervenção terapêutica do paciente autista deve ser feita por uma equipe multidisciplinar, com fisioterapeutas e fonoaudiólogos, por exemplo, se necessário, sempre priorizando a individualidade de cada criança e suas demandas específicas. 

Assim como, juntamente aos demais profissionais, a escola deve oferecer um ambiente acolhedor, além de apresentar soluções para auxiliar as pessoas com autismo no desenvolvimento de suas habilidades sociais, não somente acadêmicas. É comum que as crianças com TEA sintam grande dificuldade perante situações sociais e ao processar as emoções consequentes destas interações. 

Abordagens terapêuticas que podem ser utilizadas para ajudar o seu paciente

Após a avaliação psicológica e a confirmação do diagnóstico, é o momento de escolher qual o melhor método para seu paciente. Neste momento, é recomendável recorrer quantas vezes forem necessárias às informações trazidas tanto pela família quanto pelos profissionais da educação que convivem diariamente com a criança. O intuito desta prática é adotar a abordagem que será eficaz em consideração às demandas trazidas pelo paciente dentro das suas peculiaridades, além das questões gerais do TEA a serem trabalhadas. 

Então, para responder a pergunta psicologia e autismo infantil: como trabalhar? Irei explicar a seguir como utilizar algumas abordagens. 

Análise do Comportamento Aplicada (ABA)

A Análise do Comportamento Aplicada é a forma de intervenção que apresenta os melhores resultados, com a maior evidência científica. Fundamentada na psicologia tradicional, mais especificamente na teoria da aprendizagem operacional, a sua prática é realizada a fim de ensinar habilidades com reforçadores, ou recompensas, com ampla análise das evidências em torno de comportamentos para que haja estímulo das práticas positivas para o desenvolvimento da criança. 

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

Diferente da abordagem citada anteriormente, a Terapia cognitivo-comportamental é um processo terapêutico que foca na conexão entre sentimentos, comportamentos e pensamentos. Desta forma, o terapeuta passa a identificar as fontes, comportamentais e do pensamento, de desconforto do paciente durante as sessões com a família e com o indivíduo, a fim de fornecer à criança em tratamento ferramentas de autorregulação a partir do autocontrole. 

Intervenção de desenvolvimento baseada nas relações (DRBI)

Psicologia e autismo infantil: como trabalhar?

A Intervenção de desenvolvimento baseada nas relações acontece por intermédio dos pais ou responsáveis pela criança. Ela é uma prática livre, sem instruções específicas ou recompensas. A partir do interesse e perspectiva da criança, são elaboradas atividades que irão trazer significado emocional para a experiência compartilhada com aqueles que cuidam diariamente dela. 

A formação dos cuidadores neste momento de troca é essencial para que as situações criadas sejam divertidas, afetivas e significativas a fim de o paciente desenvolver meios de se comunicar, solucionar problemas, aprender, criar e trabalhar com ideias diferenciadas, enfim, estabelecer a ligação social com as pessoas próximas. 

Intervenção naturalista de desenvolvimento comportamental (NDBI)

A fim de solucionar alguns pontos desfavoráveis deixados pela ABA, a NBDI oferece maior gama de escolhas para que a criança possa aderir mais facilmente ao tratamento. A aquisição de habilidades e o aprendizado ocorrem durante atividades naturais da criança, como a brincadeira ou práticas rotineiras da família, utilizando o interesse do autista como origem das recompensas a serem disponibilizadas. 

Além da psicologia e autismo infantil

Mesmo que psicologia e autismo infantil sejam intimamente ligados, cabe, também, a família exercer seu protagonismo e permanecer próxima dos demais profissionais envolvidos, sempre atenta a o que está sendo feito para dar continuidade às práticas que são efetivas para a criança e refletem em resultados. 

Assim sendo, o psicólogo deve sempre buscar estar disponível para fazer a orientação parental da forma mais clara possível, criando, consequentemente, um laço de trabalho conjunto em prol da criança em desenvolvimento. 

E para te ajudar, eu, tia Paulinha, estou disponível no Instagram e no YouTube para tirar as dúvidas tanto das famílias quanto dos profissionais, entre em contato comigo! Para ser um profissional excepcional todos os dias, faça a adesão ao PsicoPlano Infatil e tenha acesso aos nossos conteúdos sempre atualizados! 

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
17 de abril de 2024
Tornar-se um especialista em psicologia...
Calandar (2)
11 de abril de 2024
Abrir um consultório de psicologia...
Calandar (2)
7 de abril de 2024
Planejar uma consulta de psicologia...
Calandar (2)
3 de abril de 2024
A busca por especialização em...
Calandar (2)
28 de fevereiro de 2024
A intervenção de qualquer transtorno...
Calandar (2)
27 de janeiro de 2024
A prática da psicologia infantil...
Calandar (2)
25 de janeiro de 2024
A Psicologia Infantil desempenha um...
Calandar (2)
21 de janeiro de 2024
O desenvolvimento emocional e cognitivo...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo