Meu filho tem 2 anos e ainda não fala, é normal?

Meu filho tem 2 anos e ainda não fala, é normal?
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

“Paula, meu filho tem 2 anos e ainda não fala, o que eu faço? O que ele tem?” Calma! Nosso primeiro passo é entender o que nós devemos esperar de uma criança que tem 2 anos de idade completos. Vem comigo! 

Algumas crianças começam a falar mais cedo, enquanto outras podem demorar um pouco mais. E existem várias razões e condições que podem influenciar o desenvolvimento da fala, como fatores genéticos, o ambiente familiar, estímulos linguísticos recebidos e o próprio temperamento da criança. 


Mas independente de uns falarem mais cedo ou mais tarde, existe sim marcos no desenvolvimentos, e um deles é a fala, e caso seu filho não esteja atingindo os marcos dos desenvolvimento, é preciso levar ele num profissional. 


Não que isso seja ruim, ele não está batendo os marcos, mas que quanto antes descobrirmos o porquê e tomarmos uma atitude, vai ajudar ele a se desenvolver melhor e mais fácil.

Nesta fase do desenvolvimento, é esperado que a criança comece a se expressar verbalmente e formar frases curtas, simples, utilizando palavras fora de contexto, mas que elas acreditam que comunique o que querem dizer e onomatopeias para se comunicar com os pais e familiares. 

“Se meu filho tem 2 anos e ainda não fala, é porque ele tem algum problema?” Não necessariamente, algumas crianças podem apresentar certo atraso no desenvolvimento da fala e da linguagem naturalmente. 

Isso pode ser resultado de uma variedade de fatores, incluindo problemas auditivos, atrasos no desenvolvimento geral, falta de estímulos adequados, ou apenas características individuais da criança. 

Atenção! 

É comum que os pais fiquem preocupados quando seus filhos atingem certas idades e ainda não desenvolvem habilidades específicas, como a fala. Alguns casos podem, sim, ser patológicos e necessitar de acompanhamento médico e de especialistas, porém devemos evitar cair em generalizações. 

Se o meu filho tem 2 anos e ainda não fala, eu devo me preocupar sem alimentar estigmas, realizar práticas que possam ter efeitos não esperados, gerar traumas, ou sentimentos de vergonha, por exemplo, por isso a importância de buscar profissionais para averiguar a situação e intervir de forma a auxiliar a criança. Não o contrário! 

“Paula, se  meu filho tem 2 anos e ainda não fala, ele pode ser autista?” 

Meu filho tem 2 anos e ainda não fala, é normal?

Antes da avaliação psicológica, é importante consultar um profissional da área da saúde, como um pediatra ou fonoaudiólogo para garantir que as condições de saúde do pequeno estão de acordo com a idade, e confirmar a não existência de doenças ou questões físicas que estejam impedindo a criança de desenvolver a fala. 

Quais são os parâmetros? 

É relevante nos perguntarmos, também, quais são as referências que devemos ter para crianças que estão, ainda, adquirindo linguagem em diferentes fases e períodos do desenvolvimento. 

E nos perguntar: “ O meu filho tem 2 anos e ainda não fala, ou ele se comunica e ainda não fala como eu espero que ele fale?” 

Então vamos às características que nós devemos esperar:

– Frases curtas, com uma ou duas palavras, como “mamãe, pão”, “quero bola”, “pegar gato”

– “Erros de pronúncia”, como “lato” para “rato”, “pê” para “pé” ou “drento” para “dentro”

– Troca de fonemas, como “lolo” para “rolo” ou “pato” para “prato”

– Uso de gestos e expressões faciais para enfatizar partes do que está sendo comunicado

– Uso de palavras simples para expressar preferências, como “sim” ou “não”

– Dificuldades em articular palavras longas, com muitas sílabas ou sons complexos, que envolvam prática. 

Como eu posso ajudar? 

“Ele é saudável, os médicos dele elogiam seu desenvolvimento, mas meu filho tem 2 anos e ainda não fala.” Sendo assim, leve em outro profissional, como terapeuta infantil, fono, neuropsicólogo.Mas nós temos algumas opções para incentivar a fala como meio de comunicação. 

Estimule a interação verbal:

Converse com seu filho de forma verbal para que ele possa ouvir e compreender um vocabulário mais amplo. Fazer perguntas simples e incentivá-lo a responder com gestos, sons ou palavras é uma estratégia eficaz. 

Evite “falar errado”: 

Por mais fofo e tentador que seja, é importante nós sempre utilizarmos palavras inteiras, de forma clara e pronunciando todos os sons presentes para que a criança possa copiar os movimentos que fazemos, facilitando o aprendizado da língua.  

Meu filho tem 2 anos e ainda não fala, é normal?

Lembre das historinhas antes de dormir: 

A leitura de livros infantis é uma ótima maneira de expor a criança à linguagem e a um vocabulário enriquecido. Escolha livros coloridos, com ilustrações atrativas e histórias curtas para prender a atenção dele, fazer do acompanhar o texto uma brincadeira, para que ele perceba a presença das letras é também um prática que auxilia na curiosidade pela língua.

Música: 

As músicas e as rimas são formas divertidas de estimular a linguagem. Cante músicas infantis e recite rimas com seu filho, incentivando-o a participar.

Use o ambiente: 

Fale com seu filho sobre o que vocês estão fazendo, descreva os objetos pelos quais ele se interessa, cores e formas também, use novas palavras e conceitos em seu vocabulário para que ele entre em contato com mais sons e formas de expressar os acontecimentos. 

“Então, se meu filho tem 2 anos e ainda não fala, ele está sendo desestimulado?” Eu gosto de lembrar, sempre que possível, que este ambiente é livre de julgamentos e de culpa, e o caminho de olhar para o universo de cada criança e compreender seus contextos é muito mais frutífero para todos nós! 

E se houver algo diferente? 

Se o meu filho tem 2 anos e ainda não fala, existem algumas condições psicológicas que podem vir a explicar. Eu lembro, porém, que diagnósticos são processos longos e envolvem psicólogos especializados em atendimento infantil. 

Por exemplo: 

1. Transtorno do espectro autista: Crianças com autismo podem apresentar atrasos significativos na fala, bem como dificuldade em entender e usar a linguagem.

2. Transtornos no processamento auditivo: Crianças com transtornos de processamento auditivo podem ter dificuldades em ouvir e distinguir sons, o que pode afetar sua capacidade de desenvolver a fala. 

3. Traumas: O trauma emocional, como abuso físico ou psicológico, pode afetar o desenvolvimento da fala em crianças, pois pode afetar a sua capacidade de se comunicar efetivamente.

4. Ansiedade social: Crianças também podem sofrer com ansiedade social e ser relutantes em falar em situações sociais, encontrando dificuldade em se comunicar com as pessoas.

5. Transtornos de linguagem: Crianças com transtornos de linguagem podem ter dificuldades em processar informações de linguagem e em se comunicar de forma eficaz, se utilizando de outros meios. 

Quer receber mais dicas para ajudar no desenvolvimento emocional saudável do seu filho ou filha? Nas minhas redes sociais (Instagram, TikTok, YouTube, Facebook) você encontra conteúdos práticos e divertidos para aplicar no seu dia a dia!  

Para não perder nenhuma atualização do blog para pais, assine a newsletter e tenha acesso a novos conteúdos semanalmente!

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
15 de março de 2024
As estereotipias do autismo são...
Calandar (2)
13 de março de 2024
O hiperfoco infantil é um...
Calandar (2)
11 de março de 2024
O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é...
Calandar (2)
5 de março de 2024
Os transtornos infantis são condições...
Calandar (2)
3 de março de 2024
O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD)...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo