Mães de autistas: Entenda tudo que você precisa saber sobre seu filho.

Mães de autistas: Entenda tudo que você precisa saber sobre seu filho.
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área todos os dias aqui e em minhas redes sociais.

Ser mãe é sempre um misto de emoções, conquistas e desafios. E pode ser, também, uma caixinha de surpresas. Para as mães de autistas, as caixinhas vem com ainda mais surpresas. 

O diagnóstico de autismo é recebido por toda a família, não apenas pela criança, e é completamente natural que muitas dúvidas estejam presentes neste primeiro momento. Principalmente para as mães que desconhecem o autismo e terão o seu primeiro contato. 

Este momento é de grande aprendizado, crescimento para todos os envolvidos e, também, de muito amor, o que faz dele delicado. Por esta razão resolvi escrever sobre os principais aspectos que todas as mães de autistas precisam depois de receber o diagnóstico. 

O que é autismo?

O primeiro degrau para mães de autistas é sempre conhecer o transtorno, saber o que é, quais são as suas características e quais as possibilidades para a criança. 

O autismo é, portanto, um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta, principalmente, mas não unicamente, a forma como uma pessoa se comunica, interage socialmente e processa informações. 

É importante para as mães de autistas entender que o Transtorno do Espectro Autista é uma condição presente desde o nascimento, que não foi adquirida e não pode ser curada. Como a cor dos olhos, ou o cabelo. E que ele faz parte da criança. 

O que não significa que a personalidade, os gostos, os jeitos, as visões de mundo, ou seja, as partes essenciais do pequeno serão diretamente influenciados pelo autismo. Cada indivíduo autista é único, com suas próprias características, habilidades e dificuldades. 

E está dentro de uma família igualmente única!

Sinais precoces devem, sim, ser considerados 

Existem alguns sinais precoces que podem ser identificados pelas mães de autistas, e são de grande ajuda ao elaborar um diagnóstico, a busca pela avaliação não é somente em função do diagnóstico, mas do que é fundamental para garantir o desenvolvimento da criança. 

Alguns destes sinais incluem dificuldades na comunicação verbal e não verbal, dificuldade de interação social, padrões de comportamento repetitivos e sensibilidades sensoriais. O acompanhamento por profissionais especializados é necessário desde o início devido às variações na manifestação dos sintomas. 

Em bebês, eles podem ser notados pelas mães de autistas nos primeiros momentos de intimidade entre os dois. São comuns os relatos sobre a criança evitar olhar diretamente para o rosto da mãe ao ser amamentada, não responder ao ser chamada ou não aceitar determinadas roupinhas, cobertores e brinquedos, por exemplo. 

Mães de autistas: Entenda tudo que você precisa saber sobre seu filho.

O processo de diagnóstico

O diagnóstico é realizado por profissionais especializados, como psicólogos e neuropediatras, por meio da observação do comportamento da criança, histórico clínico e aplicação de testes específicos. 

E ele não acontece rapidamente, com apenas uma consulta, assim não produz um documento que irá atestar características físicas como alterações neurais visíveis, resultados de ressonâncias ou exames de sangue. 

É importante as mães de autistas estarem preparadas para a subjetividade desse processo, sempre buscando informações, fazendo perguntas quando encontrar dúvidas, pedir orientações para os profissionais quando achar necessário e, principalmente, contar com o apoio dos profissionais capacitados envolvidos no processo diagnóstico. 

Aceitação e apoio emocional

Ao receber o diagnóstico, é normal que você, mãe, passe por um período de ajuste emocional. Todos nós temos expectativas, sonhos, medos e somos passíveis de escolher diferente daquilo é efetivamente necessário ou benéfico por falta de experiência ou conhecimento. 

O que não significa que esteja fazendo errado, ou prejudicando sua filha, ou seu filho, mas sim buscando o que é melhor dentro do seu universo, daquilo que acredita, e que conhece. 

Por esta razão, é essencial encontrar uma rede de apoio emocional, seja por meio de grupos de apoio, terapia individual ou familiar. Aceitar e entender o autismo como parte da identidade de seu filho, ou filha, é um processo importante para promover tanto o seu bem-estar, quanto o da criança.

Mães de autistas: Entenda tudo que você precisa saber sobre seu filho.

Comunicação e interação social

A comunicação e a interação social são áreas nas quais as crianças diagnosticadas podem enfrentar consideráveis desafios desde os primeiros anos de vida. Se comunicar com outras pessoas é definitivamente uma grande incógnita a ser constantemente descoberta e desvendada pela pessoa com TEA durante toda a sua vida.

Existem diversas abordagens terapêuticas, como a terapia da fala e a terapia ocupacional, que podem auxiliar no desenvolvimento das habilidades de comunicação e interação social consideradas relevantes e necessárias para cada criança. 

Em casa, você pode criar um ambiente inclusivo e de apoio, com paciência e compreensão, no qual a criança irá se sentir confortável para se expressar livremente. Que são fundamentais para estimular a criança nesses aspectos em qualquer contexto ou grau de dificuldade.

Estratégias de apoio e intervenção

Existem diversas estratégias de apoio e intervenção que podem beneficiar crianças autistas. Por exemplo, a terapia comportamental, como o ABA (Análise do Comportamento Aplicada), tem se mostrado eficaz no desenvolvimento de habilidades sociais, linguísticas e acadêmicas. 

Além de adaptar o ambiente, estabelecer rotinas estruturadas e fornecer apoio emocional, práticas importantes no cuidado de uma criança com autismo.

Educação inclusiva

A escolha da melhor forma de educação para uma criança com TEA pode variar de acordo com suas demandas individuais. De forma geral, é indicado que as crianças frequentem instituições para além da escola. 

A educação inclusiva é a que busca promover a participação e o desenvolvimento de todas as crianças, independentemente de suas habilidades, e tem sido uma opção cada vez mais valorizada para crianças com demandas diferenciadas das demais. 

No entanto, é importante avaliar as necessidades da criança e buscar um ambiente que ofereça todo o suporte adequado, seja em uma escola com recursos, serviços e profissionais capacitados ou atendimentos particulares.

 Autocuidado da mãe

Ser mãe é um trabalho árduo, em tempo integral, e vai exigir energia e dedicação, além de envolver muito amor, cuidado e imensuráveis alegrias. 

Por isso é fundamental que a mãe cuide, também, de si mesma, tanto física quanto psicologicamente. Buscar momentos de descanso, apoio emocional e atividades prazerosas são essenciais para recarregar as energias e enfrentar os desafios com mais equilíbrio. 

As mães de autistas, assim como as demais, vivenciam uma experiência única, cheia de desafios, aprendizados, carinho, reconhecimento e repleta de amor. Não uma vida de limitações ou negativamente afetada pelo transtorno, como escutamos diversas vezes. 

É sempre importante buscar conhecimento nos momentos de dúvida, apoio quando se encontrar cansada ou emocionalmente vulnerável, e recursos para ajudar seu filho a alcançar não somente o pleno potencial dele, ou dela, mas para garantir a sua própria saúde.  

Com compreensão, paciência, e acesso a intervenções adequadas, você estará fornecendo os alicerces necessários para que seu filho floresça e se desenvolva em seu próprio ritmo. Eu sempre estou disponibilizando novos conteúdos no meu canal do YouTube com as melhores opções para as famílias que convivem com o TEA. 

O meu blog para pais também é voltado para as mamães de todas as crianças. E lembre-se, você não está sozinha nessa jornada e há uma comunidade de apoio pronta para caminhar ao seu lado, assim como eu. Sinta-se sempre livre para me procurar nas redes sociais (Instagram, Facebook, TikTok).

Compartilhe esse conteúdo
WhatsApp
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Conteúdos que você também pode gostar
Calandar (2)
15 de março de 2024
As estereotipias do autismo são...
Calandar (2)
13 de março de 2024
O hiperfoco infantil é um...
Calandar (2)
11 de março de 2024
O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é...
Calandar (2)
5 de março de 2024
Os transtornos infantis são condições...
Calandar (2)
3 de março de 2024
O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD)...
Calandar (2)
1 de março de 2024
A identificação e intervenção precoce...

Newsletter: Receba Notícias e Conteúdos

Receba as novidades do mundo da Terapia Infantil toda semana!

Jornada Terapeuta Infantil de Sucesso

Aprenda a se desenvolver mais como terapeuta infantil, como lotar sua agenda e fazer a gestão do seu consultório do zero.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Descubra como trabalhar todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil.

TERAPEUTA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Aprenda como atuar em todas as demandas clínicas eliminando qualquer insegurança no atendimento infantil, através da metodologia IAMF.

PSICÓLOGA INFANTIL NÃO PERCA!!!

Digite o que procura abaixo