Cura do autismo. Existe cura do autismo? Até 2020 a resposta é não.

Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área. Quer conversar comigo? Só deixar um comentário no final do conteúdo.
Cura do autismo – existe cura do autismo? Paulinhapsicoinfantil

A cura do autismo:

Chegamos no dia do texto polêmico. Polêmico sim, mas eu já vou jogar a real para você que está lendo. NÃO, autismo NÃO tem cura.

Nossa Paulinha, mas o médico do meu filho disse que tem, que se ele for bem estimulado poderá nem parecer autista. HM, então isso não é cura, precisamos definir exatamente do que estamos falando para essa conversa não ser apenas um erro de comunicação, e sim, estarmos alinhadas nessa discussão sobre cura do autismo X melhora dos sintomas X adaptação à vida diária.

O que é cura?

Considerando cura como essa definição:

cura – cu·ra (Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa)

1 – Ação ou efeito de curar(-se).
2 MED Tratamento da saúde; forma de combater uma doença.
3 Restabelecimento da saúde.
4 FIG Processo de recuperação ou melhoria de algo; melhora, regeneração.
5 FIG Procedimento que alivia ou resolve uma situação difícil ou complicada; remédio, solução: É preciso encontrar a cura para a pobreza.

Então, se olharmos para cura no entendimento de DEIXAR DE SER AUTISTA, deixar de ter o diagnóstico de autismo, não, não temos cura do autismo. Precisamos falar sobre isso. Porque diariamente pais saem de consultórios médicos logo após o diagnóstico buscando uma cura. Porque o processo de aceitação do autismo é um longo processo, iremos falar mais sobre isso ao passar do texto.

Recebi o diagnóstico de autismo de meu filho, e agora?

Cura do autismo. Existe cura do autismo?

Pedi para algumas mães que atendo que me enviassem as frases que lembram de ter pensado logo após receberem o diagnóstico de seus filhos, vou dividir aqui com vocês. Muitas pensam imediatamente em cura do autismo. Então, pedi para que elas me enviassem o que pensaram logo após o médico falar – ela/ele é autista.

Relatos das mães quando receberam os diagnósticos

“Não estou entendendo nada disso” disse a mãe A.

“Eu sabia que tinha alguma coisa” disse a mãe C.

“Eu sabia que era algo a mais que TDAH.” disse a mãe M.

“Autismo? Mas ele se comunica!” disse a mãe A.

“Beleza, achei que tinha algo mesmo. Qual é o remédio/tratamento que vai deixar ele ‘normal'”? disse a mãe C.

” Tá, e como que trata? Autismo tem cura?” disse a mãe F.

“Eu te falei, mas você não acreditou em mim” disse a mãe K.

“Não entendi o que é, mas tem algum remédio que usa?” disse a mãe C.

“Será que ele nunca vai expressar sentimentos? Nem falar?” disse a mãe R.

“Ele vai falar?” disse a mãe A.

Vocês percebem que existem muitas angústias que envolvem esse momento do diagnóstico? Por isso falar em cura do autismo é importante, pois a mãe que chegar até esse texto, estará instruída em entender que não, não existe cura do autismo. Mas vamos percorrer juntas os boatos existentes sobre cura do autismo.

As falsas promessas de cura do autismo

“MMS cura autismo”

MMS não cura autismo – isso é tóxico

NÃÃÃÃÃÃÃÃO, isso é um ABSURDO que existe no mundo do autismo. Vamos lá, nosso melhor amigo é o conhecimento e a argumentação, então, precisamos entender os assuntos que existem por aí, ok? MMS NÃO É CURA DO AUTISMO.

Tá Paulinha, primeiro, o que é MMS?

Essa sigla vem do inglês: “Mineral Miracle Solution“, ou “Solução Mineral Milagrosa”, ou ainda, tem uma outra sigla que é CDS “Chlorine Dioxide Solution“. Parece chique né? Parece bonito. Mas gente, esse MMS é DIÓXIDO DE CLORO, ou seja, ALVEJANTE, sabe. Na indústria, ele é usado para branquear a polpa de celulose, e existe um protocolo específico de cuidados devido a toxicidade do produto. Usam também para tratamento de água. Ou seja, imagine o que isso pode fazer dentro da sua barriga, ou ainda, da barriga do SEU FILHO.

Esse MMS surgiu da cabeça de um americano chamado Jim Humble. Ele começou a vender o MMS como curativo para malária e tantas outras doenças… muitas pessoas já tentaram tirar o site e informações fakes do ar, mas sempre alguém volta com esse assunto, por isso precisamos explicar quantas vezes necessárias que cura do autismo não existe, e MMS irá machucar o estômago e intestino de seu filho. Jim até fundou a sua própria igreja, criando uma seita de seguidores , chamada “Genesis II, a igreja da saúde e da cura”.

PRECISAMOS falar sobre a vulnerabilidade das mães e famílias que recebem o diagnóstico, como eu expliquei ali em cima, é difícil sim. Eles não sabem muito bem o que é o autismo, o que esperar, muitos querendo que o filho fale logo e dispostos a pagar o preço que for para que haja uma melhora rápida. Além disso, muitas famílias não tem acesso à pesquisas e terapia de qualidade, sabemos que nosso sistema público, infelizmente, não dá conta de fornecer terapias de qualidade e na quantidade necessária para todas as crianças diagnosticadas.

Então os pais acabam indo pesquisar na internet, e tem gente que fala bonito, que vende bem… charlatanismo temos em diversas áreas, mas é muita falta de caráter usar isso em pais vulneráveis. E é nesse ponto que as curas milagrosas aparecem, em diferentes áreas, até cura pro cancêr esse rapaz Jim diz que o MMS faz. Então, falar em cura do autismo para pais desesperados é muito errado, e os pais acabam querendo testar para ver se ” vai que com meu filho funciona”. Mas saibam pais, não, não funciona.

Ainda quer entender mais sobre o MMS? A Andréa Werner falou sobre ele nesses dois vídeos ótimos:

Clique aqui para ir pro vídeo

E nesse vídeo ela COMPROU o tal milagroso MMS e fez o teste com meias na casa dela. Você precisa ver isso e saber o que isso pode fazer na barriga de seu filho.

Clique aqui para ir para o vídeo

Informações extras sobre MMS na anvisa – clique aqui para ler na íntegra

Informações sobre tratamento de água com dióxido de cloro – clique aqui

Exposição de “milagroso da cura do autismo” na BBC news – clique aqui

Suplementos como “Speak Smooth”

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

OLHEM O NOME DESSE SUPLEMENTO – é algo como “suco da fala”. Sinceramente, é muito desumano pegar a vulnerabilidade dos pais e jogar dentro de um produto caríssimo. Esse smooth nada mais é do que ômega 3, vitaminas D e E no produto…. ou seja, se seu filho realmente precisar de alguma suplementação – e o médico dele irá saber através de exames de sangue – você poderá manipular em uma farmácia e pagar BEM mais barato. E sem a promessa de que ômega 3, ou vitaminas irão fazer seu filho falar.

Eu fico muito chocada com a falta de empatia sabe, fazer um produto que custa em média 70 a 100 dólares, com o nome de SPEAK SMOOTH, induzindo pais a pensarem que existe a chance do filho falar após usar aquele produto. Não, isso é inadmissível. Não existe a cura do autismo, e a gente não pode continuar achando que vitaminas e suplementos curam autismo.

UMA COISA É uma criança que precisa de suplementação, e ela usa de acordo com a indicação do médico dela ter melhoras em questões de saúde e, consequentemente, apresentar alguma melhora comportamental.

Igual uma pergunta que me fizeram esses dias na caixinha do instagram: “melatonina ajuda na agressividade ou somente no sono” – e eu expliquei que não era médica mas que sabia que melatonina estava diretamente relacionada ao sono, somente. E claro, que se uma criança que toma melatonina dorme melhor, vocês não acham que ela irá ficar menos nervosa e irritada? Mas não é a atuação direta da melatonina e sim, de ter tido mais horas de um sono de qualidade.

Vocês conseguem entender a diferença? Pode ser que com a suplementação tenha alguma relação assim, caso seu filho apresente deficiência de alguma vitamina, ok? Não vá dar excesso de vitaminas para seu filho pois saiba, o corpo elimina o excesso e seu dinheirinho estará indo para o lixo, pois aquele corpo não está deficitário. Se deficitário, converse com seu médico.

Mas bom, sabemos que os Estados Unidos são os campeões em vitaminas liberadas à rodo né? Vocês já viram a sessões de vitaminas em mercados americanos? É enorme, barata, e tudo liberado… então, é praticamente cultural.

Ou seja, mais um mito, suplementos não curam autismo.

Terapias

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

Olha, se você leva o seu filho para a terapia pensando em CURA DO AUTISMO. Algo está errado. A terapia serve para ajudar seu filho a melhorar em suas áreas comportamentais, sociais e emocionais, mas ninguém deveria falar sobre curar autismo em terapia, porque isso não existe.

Aliás, se você perceber que a terapia do seu filho tentar “normalizar” ele, retirando suas estereotipias, querendo que ele se comporte de uma forma que não é ele mesmo, isso é um alerta.

Se seu filho chora para ir para as terapias, isso também é um alerta. Ele precisa gostar do ambiente, das terapeutas, da forma que a terapia é abordada. Mas bom, terapias são um tema para outros post, pois temos muiiiitas coisas para falar sobre isso. O que importa aqui é dizer que: terapia não cura autismo, e nem deve prometer isso para as famílias. Ok?

Vacina do autismo

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

Não, não existe “vacina do autismo”, ainda não temos nada relacionado à uma vacina, simplesmente porque vacinas são elaboradas em cima de vírus e bactérias geralmente, e no autismo nós nao temos vírus ou bactérias. Lembrando que para saber mais sobre o que é autismo você pode voltar nessa publicação aqui:

COMO SABER SE MEU FILHO TEM AUTISMO

Ainda para entender porque não temos uma vacina para cura do autismo:

“De acordo com o professor Dr. em doenças infecciosas e parasitárias, Roberto Dias de Oliveira, as vacinas são divididas em dois grandes grupos, as derivadas de organismos vivos e organismos mortos. “A priori as vacinas são divididas em dois grandes grupos, aquelas vacinas que são derivadas de organismos vivos, como é o caso da vacina de febre amarela. O vírus da febre amarela está presente na vacina, mas ele é atenuado por aumento de temperatura e uso de algumas substâncias”, afirma Oliveira.

Já o outro grupo pode ter além do vírus, outros organismos. “Nas vacinas derivadas de organismo mortos podemos pegar um pedaço de bactéria ou vírus para poder compor essas vacinas”, ressalta.” retirado do site: MS.gov.br

Tá preparada para a polêmica agora?

O neurocientista Alysson Muotri afirma que: “”O futuro do autismo é o fim do autismo”, em entrevista ao jornal Pioneiro.

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

Como assim, fim do autismo?

Alysson Muotri é brasileiro, mas mora nos Estados Unidos. É professor e diretor do Programa de Células-Tronco da Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD). Ele pesquisou o funcionamento das células-tronco e criou “minicérebros” em seu laboratório. Tentando investigar quais mutações genéticas provocam certos “tipos” de autismo. A técnica possibilitaria o uso mais certeiro de medicamentos para combater o transtorno.

Em entrevista ao jornal Pioneiro, na data 18/09/2018, sobre como a ciência entende o autismo hoje e quais são as possibilidades de tratamento para o futuro, Alysson respondeu algumas perguntas que trouxe aqui para vocês acompanharem.

Confira trechos da entrevista do neurocientista Alysson Muotri para o jornal Pioneiro:

Entrevista na íntegra aqui

Pioneiro: O seu trabalho é focado no mapeamento genético dos pacientes. Como isso nos auxilia a entender o autismo? 

“Alysson Muotri: O autismo tem duas causas, uma genética e outra ambiental, que a gente chama de “insultos” que acontecem no útero, como uma hipóxia (diminuição do oxigênio para o feto) ou infecção, isso pode causar o transtorno. Mas na maior parte dos casos tem uma base genética. E, durante muito tempo, não sabíamos que base era essa, porque o sequenciamento do material genético era ainda um processo muito caro. Conforme isso vai barateando, vamos sequenciando mais crianças e indivíduos autistas e fazendo uma lista de genes que são causadores do autismo. “

“Hoje, vemos o autismo da mesma forma que o câncer era visto no passado. Antigamente você falava, “fulano tem câncer”. Hoje você não fala mais isso, fala que tem câncer no sangue, ou de pulmão. Tem diferentes tipos e não há uma droga que trate todos, alguns não têm cura e para muitos já tem um tratamento. O autismo está chegando nesse estágio. Estamos definindo, por meio da genética, os diferentes subtipos de autismo. Tudo parece a mesma coisa, mas quando você presta atenção, há alguns que provocam epilepsia, uns que são verbais, outros não. “

“Apesar de terem muita coisa em comum, tem muita coisa diferente. Começa a ficar mais claro do ponto de vista genético. Alguns dos genes descobertos são suspeitos de longa data, são genes que alteram a conexão dos neurônios. Outros foram uma grande surpresa, atuam no metabolismo do DNA dentro da célula. “

Pioneiro: “A comparação com o câncer tem a ver com ligar cada tipo de mutação a certos sintomas e tratamentos? Ou o espectro é mais gradual?

“Muotri: Isso quer dizer que ou saberemos o tipo de resposta (para o tratamento), ou se vai ser regressivo ou não. Só que, diferente do câncer, que tem umas dezenas, o autismo talvez seja algumas centenas (de tipos). E, muito possivelmente, eu sempre falo que o futuro do autismo é o fim do autismo. Porque todo o espectro autista vai ser quebrado em diferentes síndromes. Isso já vem acontecendo: conforme definimos a base biológica naquele gene, naquele subtipo, já damos um nome de uma síndrome e  retiramos ele do espectro. Isso está acontecendo cada vez mais frequentemente. “

Pioneiro: “O tratamento sempre se dá à base de medicamentos? “

Muotri: “Tem uma outra coisa que começa a surgir na prática, que é um conceito antigo, se chama terapia gênica. Uma vez que você descobre qual é o gene, qual é a mutação, a ciência tem aprimorado ferramentas de edição do DNA. Hoje em dia está muito em pauta uma técnica com uma enzima que faz essa alteração de DNA. Então, sabendo qual é a mutação, em teoria você poderia usar uma dessas enzimas e corrigi-la. Conseguimos fazer isso muito bem no laboratório, eu pego um minicérebro que tem uma mutação no gene do autismo, coloco essa enzima e reverto, completamente. O grande desafio é colocar essas enzimas nos 80 bilhões de neurônios que existem no cérebro de uma pessoa.”

Por que é um tema polêmico, Paulinha?

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

Porque muitos autistas adultos falam que não gostariam de ser “curados”, que eles gostam de ser exatamente como são, mesmo com suas dificuldades. Pensar em cura do autismo alimenta uma expectativa MUITO grande para algumas famílias. Eu acho que o pesquisador faz um ótimo trabalho, porém ele poderia ser menos sensacionalista e explicar que está pesquisando para algumas mutações específicas dentro do autismo, não são todas as pessoas que irão se beneficiar dessa pesquisa. E em uma LIVE que ele fez com outro pesquisador, os autistas tentaram se expressar contando sobre suas opiniões e não foram ouvidos.

Eu entendo que como pesquisador e neurocientista a função dele de estudar o cérebro, neurônios e entender melhor o autismo é uma função muito importante, mas temos que ter muito cuidado com a forma que passamos informação. Não necessariamente porque descobrimos onde está uma mutação genética que teremos uma cura, veja pelas síndromes conhecidas como: T21, X-frágil, Turner, Klinefelter, Edwars. Todas são síndromes que sabemos exatamente porque e como elas acontecem, e nem por isso temos a cura ou a forma de evitar tal mutação genética.

Então, voltamos à polêmica sobre a cura do autismo, e eu preciso finalizar esse texto com a seguinte reflexão:

Cura do autismo, existe? Paulinha psico infantil

A nossa real dificuldade no mundo do autismo é o autismo mesmo, ou seja, a forma desse cérebro funcionar ou as comorbidades associadas? Por que queremos que todos sejam iguais e neurotípicos? Vocês já pensaram sobre o paradigma da neurodiversidade? Preciso finalizar esse texto deixando esse vídeo para que vocês assistam e pensem sobre a neurodiversidade.

Não, eu não tenho nada contra vacinas, medicamentos ou pesquisas genéticas, acho ótimo que a gente evolua em todas essas áreas, mas precisamos entender exatamente o que e por que estamos buscando uma cura.

Por que tudo o que você sabe sobre autismo está errado?

Compartilhe esse conteúdo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário

Conteúdos que você também pode gostar