Entenda tudo sobre autismo leve

autismo leve
Paulinha Psico Infantil

Paulinha Psico Infantil

Olá, sou a Paulinha, psicóloga infantil com foco em transtornos do neurodesenvolvimento. Crio conteúdos na internet desde 2015 e ajudo milhares de mães e outras profissionais da área. Quer conversar comigo? Só deixar um comentário no final do conteúdo.
autismo leve

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), conhecido popularmente como autismo, é uma condição que afeta muitas pessoas no mundo todo. Aqui, nesse artigo, falaremos tudo sobre autismo leve, que é uma condição mais amena desse transtorno.

Por falta de estudos conclusivos aqui no Brasil, não é possível determinar exatamente quantas pessoas tem autismo. Mas, em estudos recentes, realizados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças, dos Estados Unidos, foi apresentado que 1 a cada 54 pessoas tem o diagnóstico de autismo.

A forma como o TEA se apresenta varia de criança para criança. Em algumas crianças, as condições são bastante desafiadoras, dificultando a comunicação e a interação delas com outras pessoas, em alguns casos também podem apresentar epilepsia ou dificuldades motoras.

Em contrapartida, muitas crianças desenvolvem aspectos menos expressivos, resultando em pessoas que precisam de menos apoio diariamente, tem mais autonomia e independência. Para entender melhor, explicaremos tudo sobre autismo leve, começando pela explicação básica do que é esse autismo leve.

O que é considerado autismo leve?

O que é considerado autismo leve

Pois bem! Para entender tudo sobre autismo leve, é preciso, primeiramente, compreender que o autismo leve é uma expressão que não serve exatamente como diagnóstico pelos médicos e psicólogos, mas é popularmente transmitida. Ou seja, se você abrir agora o Diagnóstico de Saúde Mental V, você não irá encontrar o termo “leve”, você encontra grau 1, 2 ou 3. O autismo “leve” está dentro do grau 1, no DSM-V.

São considerados os pacientes de autismo leve aqueles que, mesmo possuindo o espectro de autismo, são pacientes capazes de desenvolver diversas tarefas comuns do dia a dia, como se comunicar, aprender, ouvir e interagir, com maior autonomia e menor necessidade de suporte no seu dia-a-dia.

Como é feito o diagnóstico do autismo leve?

diagnóstico do autismo leve

Tudo sobre autismo leve é tratado de uma forma diferente de outras categorias de autismo, como os moderados e graves, menos o diagnóstico.

A forma como é identificado o autismo nas crianças, independente do grau do espectro do autismo, ocorre da mesma maneira, através de observação clínica dos comportamentos das crianças, nos levando a entender que tudo sobre o autismo leve é bastante semelhante aos demais. Também poderão usar escalas e testes formais, com psicólogos e neuropsicólogos. O teste mais recomendado para avaliação de autismo é o ADOS, um teste padrão ouro para diagnóstico de autismo.

O diagnóstico pode ser feito por alguns especialistas, como psiquiatras, neurologistas e psicólogos. O tipo de especialista mais indicado depende da idade da criança, e como ela apresenta os comportamentos que são sintomáticos para essa condição.

Qual é a diferença para o autismo moderado ou grave?

autista leve ou moderado

Como dissemos, o autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento, que afeta algumas capacidades cognitivas, sociais e comportamentias das crianças, prejudicando seu desenvolvimento.

A principal diferença de tudo sobre autismo leve, em relação aos demais estágios, é como os diferentes graus do espectro de autismo afetam as crianças.

Quando uma criança possui as características de um espectro mais avançado, de modo moderado, por exemplo, ela tem mais dificuldades de se inserir nas relações sociais, não conseguem desenvolver sozinhas a fala e a linguística, e outros aprendizados importantes, necessitando de acompanhamentos e tratamentos constantes. 

Em casos considerados graves, por exemplo, a situação pode ser mais desafiadora, as crianças têm severas dificuldades em interagir, se comunicar e ainda podem ter déficits cognitivos expressivos, muitas vezes resultando em grande grau de isolamento e dependência do outro.

Já no considerado autismo de grau 1, ou autismo leve, as dificuldades são menores. Claro, por possuir essa condição, as crianças têm certos problemas em desenvolver algumas capacidades cognitivas, podem sofrer atrasos no desenvolvimento da fala, da escrita e de outros aspectos, mas, com o acompanhamento adequado, ela apresenta maior habilidade para conseguir desenvolver suas capacidades, se inserindo e aprendendo nas relações sociais, seja com os familiares ou com os amigos.

Como saber se meu filho tem autismo leve?

Para descobrir se o seu filho tem autismo leve ou não, é preciso procurar por especialistas que saibam tudo sobre autismo leve. Anteriormente, mencionamos os principais especialistas dessa área, que são capazes de diagnosticar o grau de autismo de acordo com exames clínicos.

Esse diagnóstico pode diferir, dependendo do sexo da criança. Historicamente, sempre existiu uma certa dificuldade em identificar o espectro de autismo nas crianças do sexo feminino, muito por conta da maior rapidez no desenvolvimento de algumas competências cognitivas, principalmente a linguística.

Por conta dessa dificuldade, muitas crianças do sexo feminino não eram diagnosticadas com autismo, porém, em diversos casos, elas poderiam apresentar tudo sobre autismo leve, mas que não foram identificados durante as consultas e os exames. Para conhecer mais sobre essa discussão acerca do autismo em meninas, basta acessar o link a seguir: Clique aqui

Em casos de crianças do sexo masculino, existe uma maior facilidade em executar o diagnóstico, principalmente pelas características cognitivas e de interação que os meninos costumam apresentar no começo de suas vidas.

Se você perceber alguma das principais características desse transtorno, ou seja, os diversos sintomas existentes, como mudanças comportamentais, tendências ao isolamento, demora para desenvolver a fala e pouca interação com pais e outras figuras familiares, buscar um profissional que entende do assunto, é o mais indicado.

Portanto, para identificar se o seu filho tem tudo sobre autismo leve, é preciso procurar um especialista. 

Você sabia que tem adultos que só conseguem o seu diagnóstico depois dos 25 anos?

adulto com autismo leve

Para finalizar esse assunto de tudo sobre o autismo leve, falaremos de um aspecto, no mínimo, curioso.

Como o autismo leve, em muitos casos, não atrapalha intensamente a interação social, a comunicação e o desenvolvimento das crianças, muitas acabam nem descobrindo que possuem esse transtorno.

Pode ocorrer dos pais simplesmente não buscarem ajuda, por acreditarem serem só as características individuais do filho, ou também pode ocorrer dos médicos não identificarem esse espectro na infância.

Dessa forma, ocorre sim, diversos casos de pessoas que só identificam tudo sobre o autismo leve com certa idade, por exemplo, após os 25 anos.

E aí você me pergunta, como assim uma pessoa passa tantos anos sem diagnóstico? Pois é, acontece e infelizmente é comum. Pois os adultos vão se adaptando frente às suas dificuldades e nem imaginam que outras pessoas também passam por experiências parecidas, algumas situações que podem te ajudar a considerar procurar um especialista:

dificuldade na interação social, parece que sua energia esgota mais rápido que a dos outros em ambientes sociais, por vezes você não entende alguma piada ou ironia, tem interesses específicos e gosta muito de ler e estudar sobre eles, tem dificuldade em comunicar adequadamente o que pensa/sente, ou se perde em ideias específicas de seu hiperfoco ou perde a atenção e interesse na conversa com o outro.

Esses são alguns exemplos que os adultos autistas costumam falar. Aqui tem um teste que pode te ajudar a pensar nessas características sobre tudo sobre o autismo leve: http://www.rdos.net/br/

Exemplos de famosos que possuem autismo leve

celebridades autistas

Como tudo sobre o autismo leve é ainda um assunto a ser melhor desvendado, é importante buscar exemplos de pessoas que possuem essas condições para usar como inspiração.

Apesar de o autismo leve parecer ter um impacto menor na vida do que em casos mais graves, essa condição, ainda sim, reflete em alguns aspectos das pessoas que possuem esse transtorno. E muitas conseguem perceber suas diferenças em relação às outras pessoas, podendo levar a situações depressivas e de auto depreciação.

No mundo dos famosos, por exemplo, encontramos algumas personalidades que possuem essa condição de autismo leve e que mesmo assim conseguem desenvolver as atividades de trabalho de forma impactante, sendo extremamente realizados e reconhecidos em suas profissões.

Exemplos como o jogador de futebol Lionel Messi, um dos melhores jogadores do mundo, o ator Antony Hopkins, Temple Gandin e Courtney Love, são alguns desses profissionais que atingiram um grande sucesso em suas áreas de atuação e possuem essa condição, podendo servir como uma boa fonte de inspiração e admiração.

Quer saber mais sobre o assunto? Me siga no instagram, aonde eu relato todo o meu trabalho com crianças autistas!

Compartilhe esse conteúdo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook

Tópicos do Conteúdo

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário

Conteúdos que você também pode gostar